comida

A especialidade do século XVI que os portugueses adoram comprar na Mercadona por 3,70€

A retalhista comemora o quinto aniversário em Portugal e a NiT descobriu o top dos produtos favoritos.
Várias novidades.

Descobrir a origem das empanadas tem sido uma verdadeira odisseia para quem se interessa pelo tema. Os primeiros registos destes pastéis salgados recheados foram descobertos no “Libre de Coch”, o livro de receitas publicado em 1520, em Barcelona, por Ruperto de Nola. O escritor admite que os espanhóis terão adaptado a versão que os árabes haviam trazido para Península Ibérica há vários séculos.

A receita tornou-se um sucesso em Espanha e ganhou o estatuto de prato típico. Atualmente é feita e vendida em todo o lado, não pode faltar numa sessão de tapas. A Mercadona também criou a sua versão e transformou-a num dos petiscos mais apreciados na Península Ibérica. Sim, portugueses incluídos. No dia em que se assinala o quinto aniversário da chegada a Portugal, a NiT descobriu que é um dos cinco produtos mais vendidos nas lojas da retalhista em território nacional.

As empanadas “gigantes”, de massa tenra com recheio de atum, já se tornaram uma das entradas mais populares nos jantares entre familiares e amigos. A cadeia começou a vender o salgado em Espanha, corria o ano de 2006. O sucesso foi imediato. Apesar de não ser uma receita com a história que tem no país vizinho, a retalhista decidiu introduzi-la no mercado nacional — logo na primeira loja, inaugurada a 2 de julho de 2019, em Canidelo (Vila Nova de Gaia).

E não estavam errados. O salgado ganhou fama graças ao passa-palavra e a gula fez o resto. Hoje é um dos cinco produtos mais vendidos nas lojas da Mercadona em Portugal.

Com forma retangular, massa crocante e recheio suculento, o salgado tem um sabor intenso e bem apurado. A receita combina o atum com o pimento e curgete assados com tomate e um leve toque de manjericão e está disponível dois formatos: 500 gramas que permite dividi-la em seis fatias e custa 3,70€ e o 1,120 quilos que serve o dobro e custa 7,40€.

O facto de ser prática e saborosa tornou esta empanada, disponível na zona da padaria, um fenómeno. Nos meses de verão, quando a vontade e o tempo para cozinhar diminuem drasticamente, as empanadas apresentam-se como uma rápida alternativa a lanches, almoços ou entradas. O facto de serem versáteis e muito práticas são alguns dos motivos apontados pela cadeia para o sucesso de vendas.

Outra vantagem, apreciada nesta altura do ano em que se fazem mais piqueniques, é poderem ser consumidas à temperatura ambiente. São, por isso, uma ótima opção para comprar no dia anterior e depois levar para a praia, para almoçar. Para quem não é fã de atum, também existe uma versão recheada com frango e outra com cogumelos e creme de queijo.

As empanadas são sempre frescas.

As empanadas são apenas um dos exemplos do sucesso da retalhista nos últimos cinco anos em Portugal. A inauguração de novos espaços é sempre sinónimo de longas filas que começam a formar-se horas antes da abertura.

Outros dos motivos que justificam o êxito da cadeia que não “recorre à publicidade ou promoções” deve-se à capacidade de antecipação.

“Em Portugal, apesar de ser uma forma diferente de atuar da restante concorrência, temos tido um feedback bastante positivo, porque viemos descomplicar a compra. Ao não aplicarmos estratégias promocionais, estamos a incentivar o consumo consciente, evitando o desperdício alimentar”, adianta o responsável pelo departamento de comunicação da Mercadona Portugal, André Silva.

A cadeia espanhola anunciou que ia dar início ao seu primeiro projeto de internacionalização, começando pelo nosso País, em 2016. No ano seguinte inaugurava o primeiro centro de Coinovação em Matosinhos para avaliar as tendências de consumo dos portugueses e depois criar e a adaptar os seus produtos. Dois anos depois abriam a primeira loja em Portugal, com mais de mil produtos pensados exclusivamente para o mercado nacional.

“Esta estratégia permitiu definir, logo desde início, uma oferta eficaz, com um sortido adaptado às necessidades dos clientes nacionais, e sempre com a preocupação de garantir a máxima qualidade”, acrescenta o responsável.

Atualmente, já existem50 lojas Mercadona de norte a sul do País e este ano pretendem abrir mais 11, chegando assim aos 60 supermercados. A meta para os próximos 10 anos é chegar aos 150.

“Temos avançado e aprendido muito com a entrada no mercado português, altamente competitivo. Hoje orgulhamo-nos de poder dizer que o esforço que fazemos para nos adaptarmos ao país se reflete na vontade das pessoas em ter os nossos supermercados perto, mas ainda há muito por fazer para nos tornarmos na empresa que queremos ser em Portugal”, salienta a diretora de relações institucionais da retalhista, Inês Santos.

A marca promete continuar a apostar no nosso País e os portugueses não negam que são fãs dos produtos da marca. As empanadas juntam-se aos gelados que já se tornaram presença habitual em muitos congeladores caseiros, ao preparado viral que pôs toda a gente a fazer doce de ovos, sem esquecer o chocolate português que está sempre a esgotar.

Carregue na galeria para conhecer os outros quatro produtos que os portugueses mais compram nas lojas da Mercadona. 

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA