comida

A tasca familiar onde pode comer tripas à moda do Porto por apenas 4€

Desde a sua fundação em 1965, este espaço tem sido um ponto de encontro para clientes de longa data.
O prato que representa a cidade.

Os clientes mais antigos conheceram este espaço como Casa Ferroviária. Posteriormente, foi batizada como Manuel do Abade e é um verdadeiro testemunho da tradição e continuidade familiar que caracteriza muitos dos spots típicos do Porto. 

Foi em 1956 que os avós de Fernando Pereira, depois de muitos anos no Brasil, decidiram voltar a Portugal. Nessa altura, surgiu a oportunidade de tomar conta desta casa, que tem uma localização privilegiada, a poucos passos da estação de comboios de Campanhã. 

“O meu avó decidiu batizar a casa com o seu nome. Anos mais tarde, quando o meu pai ficou responsável pela gestão total, manteve essa tradição, pois era também o seu nome. Hoje sou eu o responsável e tento manter o seu espírito, a sua essência e honrar o nome e legado dos meus avós e do meu pai”, começa por contar à NiP, Fernando de 49 anos. 

Agora, ele é responsável pela tasca Manuel do Abade, o local que o viu nascer e crescer e onde, algumas vezes por semana, costumava vir com o irmão ajudar os avós e, posteriormente, os pais. Desde 2007 que Fernando assumiu a gestão do espaço, depois da morte do pai. Tal como acontece desde o ano da sua fundação, em 1956, a tasca tem sido um ponto de encontro para amigos e clientes de longa data. 

A Casa Manuel de Abade oferece uma variedade de refeições caseiras e petiscos, todos confecionados pela mãe de Fernando, com 76 anos. O destaque vai para a comida tradicional portuguesa, que ano após ano, continua a agradar visitantes, dos mais antigos aos mais recentes. Desde as moelas ao bucho, passando pela punheta de bacalhau, salgadinhos, tripas e orelheira com molho verde, cá vai encontrar uma verdadeira festa de sabores. Uma refeição completa varia entre os 10€ e os 15€ por pessoa, com pão, sopa, prato principal, bebida, sobremesa e café.

O Sr. Fernando e a mãe, Maria José.

Entre tantas opções tradicionais, pode tornar-se um verdadeiro desafio escolher. Seja qual for a sua opção, terá uma refeição memorável. Todavia, se tiver em consideração a opinião da NiP, a sugestão passa por provar as típicas tripas à moda do Porto. É, provavelmente um dos pratos icónicos da cidade, seja pela história ou pelo sabor. 

Com mais de 500 anos de história, foi graças a esta especialidade típica que os portuenses passaram a ser cognominados por “tripeiros”, assumindo as tripas como uma iguaria única no mundo. Se encaramos o ‘tripeiro’ como um epíteto, é um epíteto honroso, que os portuenses até hoje assumem com honra e orgulho.

As tripas à moda do Porto são um prato estranho e com origens muito antigas mas, acima de tudo, um símbolo do Porto. Aliás, todas as lendas que explicam a sua origem estão ligadas ao espírito irrequieto e resistente do povo portuense. Segundo historiadores, o prato traduz “a capacidade do Porto se sacrificar pelo País”.

A lenda mais conhecida para a origem das tripas à moda do Porto remonta à época dos Descobrimentos portugueses, iniciada em 1415 com a conquista de Ceuta, pela armada do Infante D. Henrique. Depois de as caravelas e naus estarem prontas para navegar, era necessário carregá-las de mantimentos. Conta-se então que muitos animais, do Douro e do Minho, foram abatidos e esquartejados. 

A carne armazenada nas caravelas era a “carne boa”. Na cidade ficaram as tripas, as miudezas e as vísceras. Porém, os habitantes do Porto deram-lhes bom uso e produziram um prato saboroso, partindo do princípio de que “a necessidade aguça o engenho”.

Desde então, a receita das tripas à moda do Porto tem vindo a evoluir com o tempo. Para Maria José, mãe de Fernando e chef do espaço, o segredo está na cozedura do feijão juntamente com as tripas. “O tempero também faz a diferença no processo de confeção. Mas é claro que há que ter em consideração a qualidade dos produtos e a forma como são trabalhados”, admite à NiP. 

Se é fã desta iguaria, que mistura as tripas com outro conjunto significativo de carnes, como mão de vitela, chouriça de carne, orelheira, salpicão, toucinho entremeado e frango, é no Manuel de Abade, que vai encontrar a receita autêntica e original, que vai levá-lo numa viagem, relembrando os pratos que as avós portuguesas cozinham.

De momento, o espaço é umas das tascas apuradas no concurso Tascando, que procura eleger o melhor restaurante deste género do País. A Casa Manuel de Abade candidatou-se com o prato característico da cidade: as tripas à moda do Porto. O petisco é servido às terças-feiras e ao fim de semana (sábado e domingo) por apenas 4€, acompanhado por arroz. 

“É uma mais-valia para dar a conhecer este espaço tradicional. Diariamente, esforçamo-nos por manter viva a tradição portuguesa e portuense, no meio de tantas franquias e restaurantes de alta gastronomia que têm chegado à cidade. É a nossa forma de nos darmos a conhecer a novos clientes e continuar a fidelizar quem já conhece a casa há alguns anos”, confessa Fernando. 

Apesar dos dias mais quentes anunciarem a sua chegada, sempre que lhe apetecer, pode visitar este espaço que, ao longo dos anos, tem dado continuidade a um dos pratos mais típicos da cidade, mantendo-se fiel à receita original. A estação de metro de Campanhã fica a poucos metros desta tasca familiar portuense. 

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Estação, 90
    4300-171 Porto
  • HORÁRIO
  • Terça-feira a domingo das 9h30 às 20h
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA