comida

Cake Sweet Cake: o espaço onde os bolos e os chás se tornam uma experiência

Neste novo espaço do Porto todos os detalhes contam e até os bolos têm nomes de crianças.
Guloso

Quando ouvimos falar em hora do chá ou no chá das cinco, o nosso imaginário leva-nos logo para aqueles lanches muito produzidos e quase dignos da realeza. A mente enche-se de chávenas de porcelana e detalhes com flores e muito rosa à mistura, como nas histórias das princesas.

Esta ideia também faz parte do imaginário de Maria João Carvalho e está praticamente materializada no novo salão de chá do Cake Sweet Cake. Apesar de ser formada em Gestão de Marketing, Maria João, de 46 anos, nunca chegou realmente a exercer a profissão. A doçaria é a sua grande paixão e é dela que vive há alguns anos.

Tudo começou há cerca de dez anos, quando a filha mais velha pediu um bolo de dois andares para o aniversário. Como a pequena festa ia ser apenas para seis crianças, Maria João achou que não fazia sentido estar a encomendar um bolo a um especialista quando o que acontece normalmente é que as crianças pouco comem do bolo.

“Como é óbvio, correu mal, então fui fazer formação. Comecei depois por fazer um bolo para a minha mãe, uns amigos pediram também, passaram a palavra e comecei a ter cada vez mais encomendas”, recorda à New in Porto.

As panquecas

Nos últimos nove anos, tinha sido na cozinha de casa que preparava todas as encomendas de cake design que tinha, mas o espaço já começava a tornar-se demasiado pequeno para o volume de trabalho. Decidiu então procurar um espaço onde pudesse ter uma cozinha e eventualmente uma loja. Encontrou por acaso este espaço na zona da Constituição, onde era o antigo restaurante Chez Albert.

“Adoro o conceito de casa de chá e então juntou-se o útil ao agradável.”

Tem o espaço desde março de 2019 e aos poucos, com a ajuda do marido, foi recuperando tudo e fazendo as obras ao seu gosto. Não queria que este fosse mais um espaço na cidade e por isso teve todo o cuidado com os detalhes. Aqui há candelabros de cristal nos tetos, cadeirões originais dos anos 50, sofás em veludo e até um tecido floral que não descansou enquanto não encontrou. Os detalhes vão ainda mais longe, com guardanapos de linho, louças Vista Alegre e talheres Cutipol.

Era para ter aberto na Páscoa de 2020 mas, como sabemos, a pandemia trocou-lhe as voltas e tudo atrasou. Acabou por abrir em maio deste ano, com o sonho quase completo, num espaço que quer confortável e que faça os clientes sentirem-se como em casa.

As bowls

Como é de esperar de uma casa de chá, este produto é fundamental na Cake Sweet Cake. A carta de chás é longa e variada, com opções nacionais e estrangeiras. A chávena começa nos 2,50€ mas pode custar mais, conforme o chá ou o ritual que pretenda. Sim, pode pedir o Royal Tea (15€), por exemplo, que vem com chá, scones, compota, manteiga, bolachas, bolo, macarron e sandwich.

Nos doces, os nomes são de crianças e têm quase todos dedicatória especial às filhas, afilhados e amigos. A panqueca Carol (5,50€) é dedicada à filha Carolina e tem creme de avelã crocante, avelãs e gelado de baunilha. Aqui também vai encontrar bowls de fruta (desde 6,50€) ou bolos que vão variando.

Não se preocupe se for mais fã de salgados porque esses aqui têm nome masculino. Há saladas (desde 9,70€), tostas (desde 8€), ovos (desde 7,20€) e até hambúrgueres (desde 4,50€).

Além do que pode comer aqui no espaço, pode ainda levar para casa um chá especial da Cake Sweet Cake ou encomendar os seus bolos de aniversário, de casamento ou de qualquer outro tipo.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Constituição, 1365
    4200-196 Porto
  • HORÁRIO
  • Terça a sexta-feira das 12h às 19h
  • Sábado e domingo das 10h às 19h
  • Fecha à segunda-feira
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Pastelaria, Café, Chá

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA