comida

Este Natal pode beber uma garrafa de vinho do Porto que estagiou no mar

Na passada quinta-feira, Dia Nacional do Mar, 100 garrafas emergiram após 11 meses de estágio a dez metros de profundidade.
Uma inédita inovação nacional.

Em novembro de 2019, 12 garrafas de vinho Pétrus 2000 partiram para a Estação Espacial Internacional, onde ficaram por mais de 400 dias, sendo depois leiloadas por um milhão de euros. Francisca van Zeller, representante da 15.ª geração da família mais antiga a criar vinho do Porto (sem interrupção) decidiu trocar esse espaço pelo mar.

A 7 de dezembro de 2022, 100 garrafas foram submergidas a dez metros de profundidade no Porto de Sines. A 8 de junho de 2023, no Dia Internacional dos Oceanos, a Van Zellers & Co apresentou oficialmente este vinho do Porto. Na passada quinta-feira, 16 de novembro, Dia Nacional do Mar, Francisca van Zeller deu um último mergulho para tirar as 100 garrafas do sono profundo monitorizado ao qual estavam submetidas. 

“Lembrámo-nos de fazer algo inovador e fora do comum. O vintage é um tipo de vinho do Porto que envelhece muito bem em garrafa e é produzido para fazer a sua vida em garrafa. No entanto, em vez de colocarmos no ano passado toda a produção no mercado, guardámos umas garrafas e decidimos testar o estágio destas garrafas em água. A ideia surgiu num jantar entre amigos, afinal de contas, muitas das melhores ideias surgem à volta da mesa”, explica à New in Porto.

As garrafas foram submergidas sem rótulo. O objetivo era experimentar de que forma a água poderia vir a influenciar no processo de envelhecimento da bebida, recebendo o nome de Van Zellers & Co Vintage Port 2022 Ocean Aged. “Ali as garrafas encontram um bar de pressão, que é um valor seguro para iniciar o processo de envelhecimento do Porto Vintage. As garrafas também vão beneficiar de uma temperatura constante e de um ambiente escuro para um bom desenvolvimento. E uma mais-valia são as belas algas marinhas que começam a aparecer nas garrafas”, diz Francisca van Zeller, acrescentando que este processo diferenciador pode vir a criar intensidade, delicadeza e elegância ao vinho do Porto vintage.

À NiP, a responsável pela marca ainda admite que atualmente o mercado tenta lidar com uma geração que está sempre com pressa e que não tem tempo para esperar. Por isso, o que se pretende com este envelhecimento debaixo de água é proporcionar um vinho mais fresco e “pronto a beber”. 

“A estrutura do vinho fica mais macia, mais aromática e expressiva. E isto é algo que num vinho do Porto demora mais tempo em garrafa, ou seja, o envelhecimento em água vai intensificar este processo”, acrescenta.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Van Zellers & Co (@vanzellersandco)

O Porto foi produzido com uvas oriundas de vinhas seculares, localizadas no coração do Douro, colhidas à mão e pisadas em lagares de pedra de granito, onde posteriormente foi ainda fermentado. Passado três dias é-lhe acrescentado a aguardente para preservar os aromas de frutos vermelhos, juntando-se ainda nuances e especiarias, ameixa, figo seco e chocolate negro. Trata-se de um Porto vintage com um carácter profundo e aveludado, mas que pretende ficar mais suave, num blend “em harmonia perfeita”.

Este lançamento inédito acontece em parceria com a Zouri Shoes, marca de calçado eco-vegan, responsável pela embalagem do vinho, propositadamente desenhada em forma de concha através de plástico recuperado da costa portuguesa, assim como com a empresa Ecoalga — Adega do Mar, especializada em armazenamento subaquático e que monitorizou o envelhecimento das garrafas ao longo destes quase 11 meses.

A Van Zellers & Co vai ainda utilizar parte das receitas da venda das garrafas para apoiar um programa educativo organizado pelo Oceanário de Lisboa, sobre a importância do oceano, dirigido para miúdos entre os seis aos 18 anos, da Região do Douro. Desde forma, terão a oportunidade de aprender com os maiores especialistas do País, a diversidade da vida marinha e a melhor forma de protegê-la.

“O ponto importante era conseguir abranger a totalidade dos estudantes. Independentemente do valor das garrafas, tínhamos que garantir apoiar 644 alunos do Município São João da Pesqueira”, admite a jovem acrescentando: “Temos que mudar pequenos hábitos, começando por não deitar lixo no oceano, daí ser importante levar um projeto como este ao Douro. O Douro está bem afastado do oceano, mas tem uma ligação a ele através do rio, e se há algo que corre muito pelo rio é lixo, se todos nós somos conscientes de esses cuidados, de não deitarmos lixo no chão, se reciclarmos, já ajuda muito ao oceano. Se ainda formos mais longe, como apanhar lixo nas praias ou dentro do mar, também são atitudes que nos ajudam e contribuem para que o 90 por cento do nosso território que é coberto por água, consigamos tirar proveito do nosso oceano, o nosso mar e claro, as espécies marinhas que nele habitam. Este é o tema que quero que esteja presente nas mesas sempre que este vinho seja bebido”.

O Van Zellers & Co Vintage Port 2022 Ocean Aged estará disponível em garrafeiras especializadas a partir de meados de dezembro. Cada garrafa custa mil euros.

Já que aqui está, carregue na galeria para conhecer sete queijos — deliciosos — que pode comer sem culpa nos jantares de Natal.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA