comida

Histórico: restaurante portuense Antiqvvm conquista duas estrelas Michelin

Na primeira apresentação do guia gastronómico em Portugal, o spot liderado pelo chef Vítor Matos foi a grande novidade nesta categoria.
O restaurante protuense subiu de patamar.

Todos nós chegamos a um momento da vida em que sentimos que atingimos finalmente a maturidade. Vítor Matos diz que está, neste momento, precisamente nesse estágio. E os inspetores do Guia Michelin parecem concordar: o famoso chef português acabou de receber a sua segunda estrela graças ao projeto Antiqvvm.

Nas próprias palavras do chef de 46 anos, à New in Porto: “Esforço-me por promover os valores de uma cozinha cultural, natural, evolutiva, social e artística”. Valores que se refletem nos seus mais variados projetos portuenses, desde o Antiqvvm ao Blind, passando também pelo seu mais recente projeto, em Lisboa, 2Monkeys, que no seu ano de estreia, alcançou na gala desta terça-feira, 27 de fevereiro, a sua primeira estrela Michelin.

No caso do Antiqvvm, o guia gastronómico refere-se a este spot portuense como um restaurante bem especial. “Destaca-se pela sua localização única no tranquilo e recatado palácio onde também se encontra o Museu Romântico, capaz de oferecer uma cozinha consistente e de qualidade sublime, demonstrando grande mestria técnica na obtenção das melhores texturas e sabores.”, pode ler-se na apresentação do restaurante no Guia Michelin.

E acrescenta: “O restaurante, não desprovido de elegância, conta também com o must de ter os seus próprios jardins. Se estiver bom tempo, é bucólico comer ou jantar no terraço, desfrutando da sua posição elevada de uma vista deslumbrante sobre o Douro que atravessa a cidade”.

A decoração elegante e uma vista soberba não são os únicos pontos fortes do restaurante. Neste espaço, poderá encontrar com uma cozinha sazonal criativa, apresentada em dois menus de degustação, O Ensaios Sensoriais, à base de carne; e o Orgânico, 100 por cento vegetariano, que é uma espécie de volta ao mundo. 

“Esta distinção representa o culminar de 30 anos de experiência. Acima de tudo, representa chegar à maturidade profissional e como humano. Estes 46 anos transmitem muita maturidade e calma, coisa que não me caracterizavam quando era mais jovem. Sinto-me capaz de criar com paz de espírito e muito importante, permite-me trabalhar em equipa”, conta Vítor Matos, a propósito das duas estrelas Michelin atribuídas ao seu espaço, Antiqvvm.

O chef admite que este reconhecimento só é possível graças aos clientes que, diariamente, confiam nele para levá-los numa viagem de sabores. “Para mim, é premiar aos nossos clientes e todas as pessoas que nos visitam e vêm à procura de uma experiência. Não trabalhamos diretamente para o Guia Michelin, no fundo, um negócio é feito pelos seus clientes. Atingimos um ponto muito próximo da perfeição e harmonia, entre a sala e a cozinha, a receção dos clientes. Este reconhecimento não é só comida, é um conjunto de elementos que fazem ao restaurante”.

A assinatura do chef Vítor Matos na cozinha passa pelo cuidado e respeito que é dado às matérias-primas, onde faz ênfase pelo respeito aos ciclos da natureza, cuidando os pontos exatos de cozedura, sem deixar de dar especial atenção à apresentação final, para a conceção de um prato harmonioso, natural e, claro, original.

“Cada vez vemos mais espaços e experiências plant-based e eu acho que esse é o nosso futuro. Eu não dispenso claro da inclusão da proteína nos meus pratos, mas é preciso darmos uma especial atenção aos ciclos da natureza e aos ingredientes que ela nos proporciona”, defende.

Além de ter obtido a segunda estrela Michelin no restaurante Antiqvvm, o guia distingue outro espaço do chef, confirmando o seu talento. O restaurante Blind, inserido no hotel Torel Palace Porto, faz agora parte da lista dos espaços recomendados pelo Guia Michelin Portugal 2024. A chef Rita Magro recebeu ainda o prémio Jovem Chef.

Desde 2020 que a chef natural de Coimbra tem vindo a conduzir diariamente a cozinha do Blind, ao lado de Vítor Matos. “Fazer o que é a nossa paixão todos os dias, e ver que os nossos clientes saem felizes com isso, é o que nos dá mais satisfação. Este reconhecimento é fruto de muita dedicação”, revela à NiP a chef de 27 anos.

Formada em Gestão e Produção de Cozinha, na Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, Rita Magro passou pelas cozinhas dos restaurantes do Vila Vita Parc, Salpoente e Antiqvvm, antes de se juntar à equipa do Blind, onde continua a assegurar diariamente o funcionamento do restaurante de fine dining do Torel Palace Porto.

Da mesma forma que o chef Vítor Matos, e toda a equipa do restaurante, Rita tem vindo a dar provas da sua criatividade, talento e ousadia, tendo por base o melhor dos ingredientes nacionais. “O maior desafio é continuar a estarmos sempre no nosso melhor, quando entregamos excelência todos os dias e vemos resultados nos nossos clientes com isso, nunca mais queremos baixar de nível”.

Em todos os seus projetos, o chef Vítor Matos vale-se do talento emergente e a vontade dos jovens em aventurarem-se no setor da restauração. Ele próprio admite que isso é uma mais-valia para o funcionamento dos restaurantes.

“Esta juventude tem uma coisa engraçada, porque nós também aprendemos com eles. E a minha equipa de trabalho está repleta de jovens, espalhados um pouco por todos os projetos e que trazem outra vida e uma lufada de ar fresco à experiência em si. Eu não sou nada sem a equipa, desde o responsável da sala ao chef da cozinha, todos eles dedicam-se aos seus papéis com paixão e tornam possível atingirmos este patamar de duas estrelas Michelin”.

Para 2024, o distinguido chef revela à NiP que pretende continuar a esmerar-se para, no próximo ano, não só manter as estrelas que já conquistou nesta cerimónia, mas conseguir trazer também uma estrela para o restaurante Blind.

“Todos os dias temos de fazer bem, mas se pudermos fazer melhor, é isso que vamos tentar. Temos de continuar a investir e a colocar a grandiosa gastronomia tradicional portuguesa nos maiores e melhores patamares mundiais, e a obtenção das mais diversas distinções pelo Guia Michelin, contribui para isso”.

Portugal conta assim com 31 restaurantes com uma estrela Michelin. No caso dos espaços com duas estrelas, sete mantiveram a sua distinção.

Entre os 20 restaurantes recomendandos pelo Guia Michelin Portugal 2024, quatro são do Porto: o Apego, com a chefia de Aurora Goy; o Blind, com Vítor Matos e Rita Magro; o Fauno, com o chef Tiago Amorim; e o Gastro com chefia de Ricardo Dias Ferreira.

Carregue na galeria para (re)descobrir o Antiqvvm e as propostas originais do chef Vítor Matos.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    R. de Entre-Quintas 220 do Romantismo
    4050-240 Porto
  • HORÁRIO
  • Terça-feira a sábado das 12h30 às 14h30 e das 19h30 às 21h30
PREÇO MÉDIO
Mais de 50€
TIPO DE COMIDA
Fine dining

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA