comida

Miss Pavlova troca Baixa pela Ribeira. A culpa é do metro do Porto

Obras retiraram clientes à Rua do Almada e a marca decidiu mudar-se para outra zona da cidade.
Fotografias de Miss Pavlova.

Depois de cerca de sete anos na Rua do Almada, a Miss Pavlova fecha as portas e muda-se para outra zona da cidade. Esta alteração não estava nos planos da marca, mas acabou por ser forçada a isso devido às obras da linha Rosa do metro, que têm retirado movimento à zona. No final do ano passado, embora as obras já estivessem instaladas na zona dos Clérigos, ainda não se notava grande diferença porque havia passagem de peões. Em maio deste ano, quando as obras fecharam mesmo a rua, tudo se agravou.

“Ficámos ali num buraco, impedidos de trabalhar normalmente como até ali. Cortaram a passagem pela Rua dos Clérigos e junto ao Banco de Portugal puseram umas barreiras, o que fez com que a passagem fosse mais complicada e as pessoas sentissem quase um constrangimento ou algum impedimento em passar para a rua. Isso levou-nos a uma quebra de vendas muito grande”, aponta à New in Porto a responsável da marca, Ana Maio.

Desde esse momento tentou informar-se junto da Câmara Municipal do Porto e da Metro do Porto sobre os prazos das obras e como poderiam fazer face às perdas. “Na realidade, ninguém nos dá um prazo concreto”, diz.

Esta situação é agravada pelo facto de estarmos a sair de um período alargado de pandemia e a sofrer as consequências da guerra na Ucrânia, que afeta as matérias-primas, por exemplo. A Miss Pavlova tinha chegado à Rua do Almada, mais concretamente à concept store Almada 13, em 2015. No final de 2019 teve a oportunidade de ficar com um espaço próprio à face da rua, o que lhe dava uma liberdade maior. A loja acabou por ser inaugurada a 8 de março de 2020, sem imaginarem na altura que teria que fechar cerca de uma semana depois devido à pandemia.

“Abrimos, fechámos, no decorrer da pandemia tivemos algumas dificuldades, como é óbvio. Entretanto tentámos reinventar-nos a vários níveis, lançámos a loja online, tivemos uma série de ações mesmo internamente para tentarmos manter-nos à tona. Agora, em maio deste ano fecharam a rua e a partir daí começámos a sentir que realmente precisávamos mesmo de outro espaço porque senão ia ser complicado continuar naquele espaço sem conseguir rentabilizar e sem faturar.”

Citada pelo “Jornal de Notícias”, “fonte oficial da Câmara do Porto disse que o departamento de Comércio ‘nunca recebeu pedidos formais de apoio por parte deste estabelecimento’”. No entanto, em conversa com a New in Porto, Ana Maio contrapõe esta afirmação: “Da parte da Câmara do Porto não fomos avisados que a rua ia fechar, em maio. Fui lá e fiz uma exposição e tenho provas dessa exposição”. A responsável da Miss Pavlova diz ainda que a resposta da autarquia é “mentira” e justifica: “Se calhar não há naquele departamento, mas há noutro. Não se pode dizer que não houve, houve e tenho provas”.

Da parte da Metro do Porto, Ana diz que recebeu a proposta de transitar temporariamente para um espaço de galerias na zona da Trindade, uma solução que recusou. “Sugeriram irmos para lá mas recusámos porque o nosso tipo de negócio requer um investimento de equipamentos que não pode ser feito temporariamente, se há coisa que não precisamos agora é ter mais custos”, aponta.

Sem querer ou poder esperar uma resposta que acredita que possa tardar, começou a procurar um novo espaço e acabou por encontrá-lo na zona da Ribeira. Esta nova localização vai trazer à marca também um novo conceito e uma pequena mudança de branding.

Sem poder adiantar muito, Ana revela que o espaço tem cerca de 300 metros quadrados e terá não só os produtos a que a Miss Pavlova já habituou os clientes como uma aposta reforçada na pastelaria fina e, posteriormente, no brunch e até numa vertente de eventos e workshops. O objetivo é poder receber esse tipo de eventos ao mesmo tempo que o resto da loja funciona normalmente.

O novo espaço terá ainda uma aposta forte numa vertente mais artística, quase como uma galeria, com o objetivo de acolher exposições temporárias e assim dar a conhecer outros artistas nacionais. “Vai ser um espaço diferente e vai chamar-se Miss Pavlova Maison”, revela Ana, explicando que esta será a loja principal da marca e que as restantes, mais pequenas, passarão a ser as boutiques.

Numa altura em que a loja da Rua do Almada fechou a 20 de novembro, ainda não há uma data ao certo para a inauguração do novo espaço, a única garantia é que será no início de dezembro. Depois, 2023 será um ano em grande para a marca que, além de assinalar os dez anos desde a sua criação, irá abrir mais um espaço no distrito do Porto, embora não seja possível adiantar mais sobre isso de momento.

Enquanto espera pela abertura do novo espaço da Miss Pavlova, pode provar os seus doces na loja do Norteshopping, em Matosinhos, ou através do site da marca, cujas entregas são feitas para todo o País — no caso de produtos como os macarons ou as bolachas, por exemplo. Se preferir, carregue na galeria para ver ou rever algumas das especialidades do projeto portuense.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA