comida

Neste spot no Bolhão, o peixe come-se de forma tradicional com um twist requintado

O Peixe no Mercado estreou-se no icónico edifício do Porto em julho de 2023, com uma oferta de casual fine dining.
Dias quentes e peixe são a combinação perfeita.

Muitas pessoas acreditam que o trabalho da cozinha é duro e pesado, quase de escravo. No entanto, a verdade é que por detrás das panelas há sempre um apaixonado pela gastronomia. É este o caso de João Pinheiro Vieira, que desde os 13 anos foi obtendo formação e experiência na cozinha amadora. 

Depois de alguns anos no setor do turismo e da hotelaria no Porto, reparou que existia uma lacuna no setor da restauração no coração da cidade. “Apercebi-me que tanto turistas como locais, precisavam de deslocar-se até Matosinhos para ir a bons restaurantes de peixe e marisco na brasa. Não tínhamos uma oferta de referência na Baixa”, começa por contar à NiP o fundador do Peixe no Mercado. 

Assim, em finais de 2018, João estava determinado a abrir um restaurante na zona da Ribeira. Iria chamar-se “No Meat” precisamente porque lá dentro não ia comer-se carne, pelo menos, vermelha. Com a pandemia, o projeto ficou em stand-by. Pouco tempo depois, com a reabilitação do Mercado do Bolhão, o empresário de 56 anos considerou que este seria o local ideal para servir peixe e marisco.

“Fazia todo o sentido que um tipo de cozinha tão ancestral e português pudesse ficar num monumento tão emblemático da cidade, como é o Mercado do Bolhão. Revestir o conceito de toda esta memória cultural foi o nosso principal objetivo, por isso, alterou-se a ideia inicial de onde seria o local e nasceu assim o ‘Peixe no Mercado’“, confessa.

O interior do restaurante tem assinatura do designer Paulo Lobo e está, essencialmente, relacionado com o mar. A cor azul escolhida remete para o oceano, sendo o mais apropriado para um restaurante com uma oferta a 100 por cento de peixe e marisco. E até nos pequenos pormenores o mar está presente, com cadeiras em vime, que remetem para as cordas que prendem os barcos, incluindo uma exposição de embarcações em miniatura.

A carta do Peixe no Mercado conjuga tradição e inovação, apresentando uma oferta de casual fine dining. A maioria das propostas são inspiradas no receituário tradicional português, que é interpretado pelo chef Rodrigo Cardoso. No que toca à cozinha tradicional, é obrigatório referir os bolinhos de bacalhau, preparados à moda antiga e fruto da receita da avó, em que a batata e o bacalhau são esmagados à mão. O peixe é grelhado de forma artesanal, acompanhado de um arroz de berbigão, recomendação do espaço, por ser uma verdadeira explosão de sabores a mar, a limão, a coentros e claro, a marisco.

Há ainda um pequeno conjunto de pratos, criados pelo chef, natural de Cinfães do Douro. Aos 17 anos concluiu o curso de Cozinha e Pastelaria na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto. Estagiou e trabalhou no InterContinental Porto, passou pelo restaurante com duas estrelas Michelin, Antiqvvm, pelo Real by Casa da Calçada, no Paparico e, aos 24 anos, estreou-se como chef executivo do Peixe no Mercado. 

Com os dias de calor a chegar, o restaurante inserido no icónico edifício do Mercado do Bolhão, no coração do Porto, estreia a sua segunda carta de verão, mais fresca e criativa. “Para esta carta, quisemos trazer leveza, equilíbrio e principalmente frescura aos pratos, para que o cliente tenha uma refeição completa agradável. Exploramos os ingredientes da época em pratos frescos e criativos, tendo como base a cozinha portuguesa, tanto tradicional como a do dia a dia”, explica o chef. 

Os novos pratos, que se apresentam como propostas de fine dining, juntam-se às restantes opções de peixe do dia trabalhado na grelha a carvão, bem à vista no interior do restaurante. A primeira novidade da carta é um puré de cenoura algarvia no couvert, no qual também fazem parte pão de massa mãe, manteiga e azeite do Douro (4€). 

Há um novo snack, a punheta de bacalhau com gema confitada (10€) e duas entradas a estrear, a ostra, vieira e pepino (18€) e o cação, coentros e pimenta timut (14€). Este último é uma sopa de cação dos Açores, que surgiu como proposta do proprietário ao chef. 

Quanto aos pratos principais, há três novidades por conhecer. A pescada de anzol, sapateira e tomate fermentado (25€) com pescada do Algarve e sapateira de Angieiras é um prato que procura homenagear a cozinha portuguesa do dia a dia. “Não sendo um prato tradicional português, acaba por ser um prato muito português, uma vez que há uns anos, qualquer restaurante tinha pescada com molho de marisco”, admite o chef. 

Há ainda lírios, favas e mostarda (27€), um prato que surge do lírio dos Açores e combina favas, molho espumante, pickles e folhas de mostarda. Há ainda umas favas, beurre blanc e mostardas (16€), uma proposta vegetariana que combina ervilha-de-quebrar e bimis. 

Nos doces, o chef propõe uma tigelada, azeite do douro e mel (9€) e a laranja de pala, limão e kumquat (9€). Na primeira, inspirado-se no doce alentejano, o chef brinca com as texturas do azeite, criando um azeite de baunilha e ainda o reduz a pó. É acompanhado com gelado de baunilha e um creme de leite fumado, finalizado com mele. A segunda é para os adeptos dos cítricos, com uma torta cremosa de laranja, sorbet de limão, pedaços de kumquat, gotas de lima caviar, creme de laranja e limão mão-de-buda. 

Carregue na galeria para conhecer as novas propostas do Peixe do Mercado. A estação de metro do Mercado do Bolhão deixa-o mesmo no interior do icónico edifício.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua Formosa, 322 Piso 3
    4000-249 Porto
  • HORÁRIO
  • Segunda-feira a sábado das 12h às 00h
PREÇO MÉDIO
Entre 20€ e 30€
TIPO DE COMIDA
Marisco

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA