comida

O novo café do Porto quer pôr todos a comer pratos saudáveis (e até pode criar o seu)

O Bee Garden abriu no final de novembro do ano passado, apoia uma galeria de arte local e ainda serve como espaço de coworking.
Vai virar adepto da comida saudável.

Nos últimos anos, a Rua do Bonjardim, no Porto, tem vindo a ganhar uma alargada variedade de propostas gastronómicas, que vão desde sabores locais até comidas do mundo. No topo da rua, abriu um novo spot no dia 27 de novembro do ano passado. De fora, pode parecer um lugar pouco espaçoso, mas assim que entra, vai encontrar um refúgio saudável que vai surpreendê-lo.

Monika Redmer é a responsável pelo Bee Garden — Art, Food & Work, o novo café do Porto que quer democratizar o acesso à comida saudável, apresentando-a sem restrições e como uma grande variedade de escolha. A jovem de 32 anos é natural da Polónia. Formada em Engenharia Mecânica, apaixonou-se pelo Porto há dez anos, altura em que veio fazer Erasmus. Nesse momento, notou, desde logo, uma lacuna na oferta de comida saudável.

“Quando vim para Portugal, pela primeira vez, a alimentação saudável era algo muito natural na minha rotina diária. No entanto, a escolha e as propostas eram quase inexistentes. É claro que podia fazer as coisas em casa, mas também gosto muito de sair, conhecer novos restaurantes e não tinha grandes opções”, começa por contar à NiP.

A empreendedora ainda acrescenta: “Ao longo dos anos, começaram a chegar espaços como o Honest Greens ou o Noola Kitchen mas, ainda assim, as escolhas eram muito limitadas, daí que o meu propósito passe por democratizar a variedade de escolha numa alimentação saudável”.

A principal motivação de Monika era introduzir hábitos de alimentação mais equilibrados ao seu marido português. Em muitos casos, quando o casal tentava comer em algum restaurante local com um conceito saudável, o companheiro tinha dificuldade em escolher um prato, porque havia sempre algum ingrediente que não era do seu agrado. 

Por essa razão, uma das dinâmicas do novo espaço da cidade é o Cartão Seleção. Por 12€, os clientes podem escolher uma proteína, uma base, um molho e mais cinco ingredientes para construir o seu prato, sendo que as opções para cada ingrediente são ilimitadas e variadas. “Gostamos muito desta dinâmica porque as escolhas são infinitas, ou seja, uma pessoa pode vir cá e comer algo diferente todos os dias. Os clientes sentem que fazem parte do processo de criação do nosso espaço e têm orgulho no prato que criaram, motivando-nos até a inclui-lo na carta”, admite a jovem.

No Bee Garden, pode contar com um menu com sugestões do chef, que incluem sopa, entrada, prato e sobremesa. A sopa, entrada e sobremesa não estão definidas, pois mudam diariamente consoante os ingredientes disponíveis. Os responsáveis trabalham com o comércio local que, semanalmente, faz entregas de produtos sazonais, desde legumes, ovos, verduras e outros ingredientes essenciais para a confeção dos pratos.

As propostas da cozinha custam entre 10€ e 13€ e podem ser frango com cuscuz, cebola roxa, tomate cherry, curgete, queijo feta e wakame ou salmão curado na tosta bio com abacate, tomate cherry, folhas verdes e batata doce. Ainda há opções para veganos e vegetarianos como seitan ou falafel com salada mix, tomate cherry, pepino, cebola roxa, brócolos e cenoura.

Se quiser começar o dia de forma saudável, também poderá fazê-lo. Existem quatro propostas que se adaptam ao início do dia ou a um lanche ao longo da tarde. O preço dos menus varia entre os 4€ e os 5,50€ e poderá escolher entre uma tosta bio com manteiga ou marmelada, café e sumo do dia, uma tosta bio com azeite e tomate assado, café e sumo do dia, uma tosta bio e croissant com queijo, fiambre, manteiga e marmelada, café, sumo do dia ou croissant com três mini panquecas de aveia, manteiga, mel e marmelada, café e sumo do dia.

O conceito bio também passa pelas bebidas, incluindo café biológico torrado em Portugal, vinho ecológico e vegano, igualmente produzido no nosso País. Há sumo de laranja natural ou sumo de frutas do dia. Estas mesmas frutas são aproveitadas diariamente para a água aromatizada do espaço.

As bebidas alcoólicas também não ficam de fora, com quatro opções de sangrias (8€). O xarope é feito artesanalmente e o desafio passou por criar bebidas que misturassem ingredientes inusitados como maracujá e alecrim, toranja e manjericão, pepino e hortelã ou uva com framboesa. 

Nos cocktails o cenário é semelhante. Existem quatro bebidas de autor. Cada uma custa 8€. Numa delas, o whiskey é misturado com mel, outro leva vodka com xarope de manjericão, ainda há o de gin com xarope de framboesa e rum com banana. 

Quando entramos no espaço, deparamo-nos com a área de cafetaria, que tem capacidade para cerca de oito pessoas e mais quatro lugares na esplanada. O refúgio do espaço surge no primeiro andar, onde está localizado um bar e duas salas, que servem ainda para espaço de coworking com capacidade para cerca de 40 lugares, mais 12 no terraço. 

Este andar conta com uma decoração mais escura, ao contrário do que acontece com a cafetaria, que tem mais luz natural. Cá, os tons escuros predominam na decoração das paredes e dos móveis, pois os protagonistas são os quadros cedidos pela galeria local, Roots Art.

Se ficou curioso, espreite a galeria para conhecer o espaço e as suas propostas. A estação de metro da Trindade fica próxima do novo café portuense. 

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua do Bonjardim, 724
    4000-265 Porto
  • HORÁRIO
  • Segunda-feira a sábado das 9h às 19h
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
comida saudável

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA