comida

O pastel de “nata” de aipo e foi gras e outras novidades do Galeria do Largo

O restaurante do Porto A.S. 1829 Hotel apresenta a sua nova carta sazonal para os dias mais quentes, pela mão do chef Manuel Ferreira.
Uma combinação inesperada.

O Galeria do Largo é o restaurante do Porto A.S. 1829 Hotel, um hotel-museu que veio dar uma nova vida a um edifício de grande valor arquitetónico e patrimonial na cidade, a papelaria Araújo & Sobrino, que é hoje uma das papelarias mais antigas da Europa. Todos os espaços do hotel marcam e refletem o início deste negócio familiar. 

A receção mantém o mobiliário original do espólio. Ainda aberta, no lado direito da receção, encontra-se a Papelaria Araújo & Sobrinho, com a exposição de alguns objetos do espólio no móvel do cavalinho. No primeiro piso, estão as primeiras imagens do interior e exterior da papelaria e os seus fundadores, assim como postais originais da Araújo & Sobrino de pontos turísticos da cidade.

Já no piso dois, dá para mergulhar na ampliação das instalações com a abertura de oficinas próprias de tipografia, trabalhos em relevo, encadernação e carpintaria. No terceiro piso o destaque vai para as máquinas de escrever e outros equipamentos de escritório e exemplares. Já o último piso remete para a papelaria novamente, mas no período do 25 de Abril, sendo possível encontrar materiais escolares e anúncios da papelaria.

De volta ao rés-do-chão, do lado esquerdo, encontramos o restaurante Galeria do Largo, outrora uma galeria de arte, que com um registo intemporal, requintado e elegante, apresenta uma nova forma de fazer arte: a gastronomia. O restaurante continua a privilegiar o que há de melhor na gastronomia portuguesa, mas agora com uma carta sazonal mais fresca para os meses do verão.

“Os ingredientes são sempre o ponto de partida para uma carta que se pretende que seja descontraída e com frescura, visto que a altura do verão pede pratos mais leves e frescos. Por isso, temos propostas que podem ser degustadas de forma ligeira”, começa por explicar à NiP, o chef Manuel Ferreira. 

Natural de terras francesas, foi aos 28 anos que o agora chef executivo do Grupo Art and Soul, descobriu as sua paixão pela gastronomia na cidade dos jesuítas, em Santo Tirso, distrito do Porto, no restaurante dos seus pais. O seu percurso formativo decorreu na Escola Profissional de Mazagão, em Braga, pela tutela do chef Martins, um dos fundadores da Escola de Hotelaria e Turismo do Porto. 

Foi no Grupo Continental que começou o seu percurso profissional, passando depois por espaços famosos como o Sheraton Porto Hotel & Spa. Ao longo dos anos, explorou todas as técnicas e novas tendências culinárias, desde a cozinha tradicional portuguesa, a cozinha de fusão, a cozinha molecular e a oriental. Desde 2015 chefia a sua própria cozinha, no restaurante Galeria do Largo, pertencente ao Porto A.S. Hotel, um restaurante tradicional de rua. A sua cozinha privilegia comida de conforto, caseira, com os melhores ingredientes, selecionados diretamente pelo chef e a sua equipa. 

“Inspiramo-nos na própria história do espaço. Antigamente, comprava-se papel nestas mesmas instalações e telas para pintar e desenhar. Nos tempos que foi galeria e detinha as melhores coleções artísticas, servem sempre de inspiração para fazermos agora uma nova arte, cozinhar. Estamos numa altura que convida à partilha e ao convívio entre amigos e é isso que une os pratos desta carta. É a carta da amizade e da diversão”, comenta o chef. 

Entre as entradas destaca-se um prato que é tão inusitado como surpreendente. O pastel de “nata” de aipo, com foi gras e acompanhado sempre por um copo de vinho do Porto 10 anos, por 15€. O foie gras e o vinho do Porto são produtos únicos e bem conhecidos lá fora, daí a escolha desta combinação pelo chef franco-lusitano. 

Para garantir a frescura ao longo da refeição, pode também começar pelas saladas. Destacam-se a salada de pato fumado e curado com alface, pepino, parmesão, nozes caramelizadas, laranja e chutney de manga (12€), a salada de beterraba com requeijão, abacate, laranja, avelã e alface (12€) ou o bacalhau com creme de escabeche, mexilhão de conserva caseira, polenta e azeitonas (12€). 

Entre os pratos principais poderá encontrar um lombo de bacalhau com feijoca de línguas de bacalhau, piquillos e chouriço bísaro, um prato que segundo o chef “representa a nossa cultura e está repleto de sabor”, por 25€. Ainda nos peixes, destaca-se o polvo com batata corada, pack-choi, beringela fumada e pico de galo (28€). 

Para os vegetarianos, uma ótima proposta são os raviolis de abóbora, alho assado, gorgonzola, tomates verdes e parmesão (18€). Nas carnes, a proposta passa pelo tornedó de vitelão com batata violeta, feijão verde e molho de vinho do Douro (26€), “um prato carregado de sabor e com cores vibrantes que elevam bastante o prato”, afirma o chef.

No caso das sobremesas, houve ainda um trabalho com o chef de pastelaria para que passe a existir uma carta de doces que varia consoante as estações do ano. “Assim garantimos os melhores produtos da época e por conseguinte, uma maior frescura”, esclarecem.  Destaca-se assim “As Rosas” (8€), um brulée de chocolate branco, com framboesas, líchias, crumble de manteiga e gelado de rosas. 

Carregue na galeria para conhecer as novas propostas deste restaurante portuense. A estação de metro de São Bento fica próximo do espaço.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Largo São Domingos, 45
    4050-600 Porto
  • HORÁRIO
  • Todos os dias das 12h às 17h e das 19h às 23h
PREÇO MÉDIO
Entre 30€ e 50€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa, Contemporânea

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA