comida

Provámos os pratos do novo chef do InterContinental Porto (e já queremos voltar)

A proposta do portuense Vítor Santos é levar turistas e locais numa viagem “Às Nossas Raízes”. A nova carta já está disponível.
Vítor quer celebrar os sabores portugueses.

Com a chegada das temperaturas mais amenas, nada melhor do que se refrescar no Astória, restaurante do hotel InterContinental. “As Nossas Raízes” são a inspiração da nova carta do espaço, criada pelo novo chef, Vítor Santos, que dirige a cozinha desde o início do ano. 

O portuense inspira-se nas memórias da infância para trazer os melhores sabores portugueses à mesa. Desde a reconstrução do famoso arroz de polvo da avó, passando pelo intenso arroz de tortulhos da serra, até às tradicionais amêijoas à Bulhão Pato, a variedade é muita e os sabores prometem ser únicos. 

“É com muito gosto que integro a chefia da cozinha do restaurante Astória e que apresento esta nova carta, onde são celebrados os produtos portugueses. A ideia é criar momentos de partilha à mesa, com pratos que nos remetem à nossa infância, às nossas origens. Dos sabores mais frescos do nosso mar aos mais apurados e tradicionais, cada prato tem um pouco do que nos representa”, começa por explicar o chef à NiP, no momento de apresentação da carta, que decorreu na passada sexta-feira, 3 de maio. 

O grande objetivo é levar alguns dos melhores sabores portuenses, com pratos típicos locais, regionais e nacionais. Para isso, o chef vai até aos locais onde se vendem produtos frescos, como a lota de Matosinhos, a poucos quilómetros do centro do Porto, e a pequenos produtores que enaltecem o sabor autêntico do que é português.

“Não é apenas uma carta, é também uma reflexão do meu desejo de moldar mentes e hábitos, apresentar novas sensações, aludir a viagens e memórias de infância, transformar, agradar e emocionar o cliente. Não pretendo ter uma carta internacional, mas sim propostas que agradem a quem é da cidade e que mostrem aos estrangeiros, do que somos verdadeiramente feitos”, defende. 

Os momentos de partilha começam logo no couvert (9€), com vários tipos de pães, como focaccia ou massa mãe, feitos artesanalmente e entregues diariamente no hotel, que combinam com um dip fresco, feito a partir de pimentos, mozzarella, azeitonas e pepino. Já nas entradas, a “tábua de sabores portugueses” (30€), marca o início da viagem pela gastronomia nacional, com uma salada de bacalhau com grão de bico, polvo em molho verde, costelinha com pickles, croquetes de novilho e peixinhos da horta.

De apresentação viva e cheia de cores, a reconstrução de uma salada de polvo à feira, o carpaccio de polvo (20€) é a escolha ideal para quem também gosta de apreciar com o olhar. Nestes sabores de partilha, não poderiam faltar as famosas amêijoas à Bulhão Pato (30€), com cheirinho a maresia. Para acompanhar estes primeiros momentos, o hotel propõe o espumante Tullinhas bruto, que tem um corpo mais fino e delicado, graças à maçã verde, ou o vinho branco Bella Sauvignon Blanc 2022, que é mais frutado, floral e leve.

Já nos pratos principais, poderá encontrar intensidade nos tortulhos da Serra, envolvidos num arroz malandrinho e acompanhado com bochecha de porco crocante (80€). Como num menu português não pode faltar o bacalhau (36€), a proposta de Vítor junta puré de batata e presunto, para quem adora combinações improváveis que funcionam perfeitamente juntas. 

Arroz de polvo (80€), leitão com puré de trufa e legumes glaceados (38€) e pregado com batata e molho de banana da Madeira (36€) são apenas algumas das várias propostas. Para acompanhar os pratos de peixe, sobretudo o pregado, a melhor proposta é o Esmero, vinho branco de 2019, do Douro, que por ser um vinho mais amanteigado e amadeirado corta a gordura do peixe. Já para as carnes, e se optar por provar a bochecha de porco crocante com os tortulhos da serra e o arroz malandro, a melhor opção é o vinho tinto Roquette e Cazes, 2019, do Douro, uma referência que acompanha os pratos na perfeição.

Para encerrar a refeição com um toque doce, a recomendação do chef é um mini pão de ló de Ovar com sorvete de tangerina (9€). Além desta sobremesa, poderá encontrar ainda outras propostas doces como o petit gateaux (9€), o pudim abade priscos (9€) ou a tarte de maçã (17€).

Carregue na galeria para conhecer as novas propostas gastronómicas do InterContinental Porto. A estação de metro dos Aliados fica a poucos passos do hotel portuense.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA