comida

Ramen Me: o novo restaurante do Porto para jantar ao som do groovy e hip-hop

Os proprietários queriam um conceito diferente, com produtos nacionais. Alguns pratos levam piri-piri e caldo verde.
Tem uma esplanada com vista para a cidade.

Ovo cozido, frango, camarão ou algas. Molho miso, de soja ou tonkotsu. No novo Ramen Me os ingredientes variam consoante a estação, mas são todos combinados com produtos portugueses para criar um caldo quente delicioso para os noodles. O objetivo do espaço, que abriu no final de abril, é “oferecer um conceito inovador, e com uma vibe descontraída, ao Porto”.

A popularidade das taças asiáticas começou a crescer em 2015, quando o Tsuta, em Tóquio, Japão, ganhou uma estrela Michelin pela primeira vez. O restaurante, localizado no bairro de Sugamo, tornou-se conhecido por ser um dos melhores do mundo.

Daí em diante, o ramen, que já era um dos pratos asiáticos mais populares internacionalmente, ganhou ainda mais destaque. Gift Ghimire e Raquel Pereira não conseguiram fugir à tendência e, desde que se encontraram na Noruega, há 15 anos, têm viajado pelo mundo em busca dos melhores restaurantes desta sopa asiática.

O nepalês tem uma forte ligação com o Japão, onde grande parte da sua família reside. Quando conheceu a mulher, encontrou também uma parceira para as provas de ramen. Há 13 anos, decidiram “assentar” e escolheram Portugal, país de Raquel, para o fazer.

No final do ano passado, decidiram investir no próprio negócio após repensarem o que queriam para as suas vidas. Encontrar o conceito não foi difícil. “Como apaixonados por ramen sentimos que no Porto não havia um espaço onde este prato fosse realmente valorizado, onde se dedicassem em exclusivo a ele. Além disso, tínhamos a vantagem de estar num País onde os produtos, legumes e proteínas são fabulosos”, conta o empresário de 42 anos à NiP.

Determinados em oferecer um “prato autêntico”, viajaram para o Japão em busca de chefs com quem gostariam de trabalhar. Kohei Yagi foi o escolhido para elaborar um menu que muda quase todos os meses. “Tentámos fazer algo diferente e apostámos em produtos e sabores muito portugueses como o piri-piri ou porco preto do Alentejo”, explica.

Entre as especialidades da temporada, destacam-se o piri-piri tantan men (14,50€), feito com chouriço, azeite, piri-piri e caldo de carne, e o ramen decapucciono (14€), com caldo de galinha, carne de porco alimentado com castanha, vinho do Porto e caldo verde.

Além disso, oferecem taças à base de vegetais, como ramen de milho (13,50€), miso picante (13,50€), ramen de kimchi (13,50€) e piri-piri tantamen (13,50€). Para acompanhar, têm cerveja japonesa Asahi (3,50€) e cocktails de autor, como o Sake Amaretto Sour (9€), o Singapore Sling (10€) e Tokyo Ice Tea (10€).

Os clientes podem provar as propostas na Rua da Picaria, seja ao balcão, na sala ou no terraço com vista para as antigas casas portuenses. Na zona exterior, criaram um projeto artístico com um mural pintado pelo artista local Vírus. O casal planeia integrar mais arte em diversos recantos do espaço, além de trabalhar na decoração com OKER e apresentar espetáculos com DJ todas as sextas e sábados. 

“Concentramo-nos no hip hop e no groovy para criar um ambiente cool e com uma vibe descontraída. Trabalhamos com artistas locais BRUMA E TROUBLEBAKER para os apresentar aos nossos clientes através das suas capacidades musicais e de mistura”, refere o nepalês.

Carregue na galeria para ver mais imagens do novo espaço de ramen no Porto.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA