compras

Amancio Ortega: os outros negócios milionários do dono da Zara

O empresário espanhol de 86 anos tem investimentos em várias áreas, todos altamente proveitosos, mas odeia ser uma figura pública.
A sua fortuna é de 58 milhões de euros.

O nome de Amancio Ortega pode não ser um dos mais sonantes para a maior parte das pessoas. No entanto, estamos a falar não só do homem mais rico de Espanha, mas de uma das 20 figuras mais ricas do planeta, de acordo com a lista da “Forbes”. O fundador da Zara — e atual presidente do Grupo Inditex — soma uma fortuna estimada em 58 milhões de euros. Por trás, há um número de investimentos inferior ao expectável para alguém com um poderio económico desta dimensão.

É longe das câmaras que o empresário de 86 anos leva uma vida relativamente pacata, o que gera ainda mais curiosidade em torno da sua vida. Próximo da primeira fábrica da Zara, numa pequena quinta na Corunha, segue uma rotina diária pacata e longe da confusão. Pouco se sabe sobre o misterioso detentor de um dos maiores grupos do retalho, mas a sua atividade de investimentos continua a ser impressionante.

Ortega tem ações em apenas meia dúzia de empresas, focando-se em três parcelas distintas. As áreas dos imóveis, da energia e das telecomunicações resumem as suas operações. É através da Pontegadea, a sua empresa familiar, que o espanhol investe nestas parcelas.

Em novembro de 2021, comprou 49 por cento do parque eólico Delta da Repsol com a companhia. Na última semana de julho, através da Pontegadea, acrescentou 5 por cento da Enagás Renovable, focada no desenvolvimento de hidrogénio.

Graças a isto, o grupo com o qual Ortega gere a sua fortuna tem propriedades em nove países, desde escritórios a hotéis, passando por estabelecimentos comerciais. O imobiliário é o ramo em que é mais difícil acompanhar os movimentos do fundador da Zara. Ao todo, os edifícios que acumula na empresa superam os 15,2 mil milhões de euros, de acordo com os valores de 2021. A compra de um arranha-céus de luxo em Nova Iorque é uma das aquisições mais recentes.

Sabe-se ainda que o executivo aposta em ações em prédios comerciais e corporativos com um padrão elevado. Graças a isto, conseguiu atingir posições de interesse em empresas como a Amazon, Google ou Apple. O grupo Pontegadea aumentou o lucro de 2020 para 2021 em 141 por cento.

No entanto, a maior parte das suas ações estão concentradas na Inditex. O grupo, cujo portefólio inclui insígnias como a Zara, a Massimo Dutti, a Bershka, a Pull&Bear e a Stradivarius, representa 59,29 por cento das suas ações. O negócio têxtil é fundamental para os resultados positivos de Ortega — além de estar na base do seu império.

Atualmente, é Marta Ortega Pérez, a sua filha, quem assume a liderança do grupo. Depois de Ortega ter deixado o cargo, Pablo Isa passou a ser o presidente da retalhista, sendo substituído pela herdeira do fundador a 1 de abril de 2022. Marta começou por trabalhar na Zara da famosa King’s Road, em Londres, há 14 anos, logo depois de terminar o curso na universidade. É considerada a arma secreta para o sucesso da gigante da fast fashion.

Esta herança, porém, foi-lhe deixada por uma pessoa que vem de origens mais humildes. Amancio Ortega é um self-made man, mas pouco se sabe muito sobre a sua juventude. Nascido em 1936, numa família pobre, em Léon, no noroeste de Espanha, começou por trabalhar numa loja de roupa com apenas 12 anos. Nunca teve a oportunidade de estudar, já que todo o seu tempo era passado a trabalhar para ajudar a pagar as contas dos pais. Ainda assim, estava convicto do que queria fazer profissionalmente e não parou até alcançar o seu lugar na indústria da moda.

Eventualmente, mudou-se com a família para a Galiza. Começou, com apenas 14 anos, a trabalhar na famosa loja de camisas Camisería Gala, onde separava e organizava peças. Mudou de emprego quando assumiu o cargo de vendedor numa outra loja da zona, a La Maja. Nesta fase, conhece a primeira mulher, Rosalía Mera. Juntamente com a esposa e o irmão, criou a sua primeira empresa. A GOA Confecciones nasceu em 1963 e produzia batas e vestidos de mulher, dando vida aos desenhos que o próprio Ortenga começou a desenvolver. Após dez anos, e com vários trabalhadores, o empresário abriu a primeira loja da marca.

Em homenagem aos filmes de Zorba, o Grego, equacionou chamar Zorba ao espaço. Porém, existia um bar nas proximidades com o mesmo nome. Por isso, após uma troca aleatória de letras, chegou um nome bem mais conhecido do público. Falava-se, pela primeira vez, na Zara, como ficou conhecida esta loja. Ao contrário da aldeia onde vivia, Busdongo, cuja dimensão diminuiu significativamente, o império do Grupo Inditex tornou-se num colosso mundial.

Leia também o artigo da NiT sobre a história de vida de Amancio Ortega.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA