compras

Esta nova marca portuense vende camisas para quem anda de bicicleta na cidade

A Calão apresenta modelos coloridos para usar no dia a dia com detalhes práticos para os mais ativos.
Cuida do ambiente.

As bicicletas estão cada vez mais na moda e é muito comum ver este meio de transporte pela cidade. Sejam miúdos ou adultos, com profissões mais descontraídas ou mais formais, têm em comum essa caraterística de se moverem facilmente de um lado ao outro da cidade em bicicleta. Mas também têm um problema: a roupa.

Deixando de lado os executivos, que possam ir de bicicleta para o trabalho já com o seu fato ou look mais formal vestido, a roupa comum não será a mais apelativa ou adequada para este meio de transporte. Foi precisamente a pensar nisso que nasceu a Calão, uma nova marca portuense que cria camisas para quem quer andar de bicicleta sem perder o estilo.

“Todos andamos de bicicleta todos os dias, seja para o trabalho ou para ir levar os filhos à escola e achámos que havia pouco no mercado para quem anda de bicicleta, exceto se for roupa técnica. Foi daí que começou a nascer a ideia”, explica à New in Porto um dos sócios do projeto, Elói Faria.

Foi assim que se juntou ao amigo de longa data, João Garcia, e à companheira deste, Onė Maldžiūnaitė. Com 38, 35 e 32 anos, respetivamente, o grupo de amigos que criou a Calão tem áreas de formação muito distintas mas que acabam por complementar-se. Elói é arquiteto, João é fotógrafo e Onė é designer de moda, que neste caso ficou com a tarefa de desenhar as peças.

“Primeiro começámos a pensar numa coleção de camisas com um design clássico e algumas caraterísticas diferenciadoras como bolsos atrás como nas camisolas clássicas de ciclismo, um refletor, fita com gancho para prender a carteira e um corte largo e descontraído.”

O lançamento oficial da Calão — cujo processo de desenvolvimento começou há cerca de um ano — aconteceu a 17 de setembro, embora a coleção esteja online desde o início de agosto. Desta coleção fazem parte nove cores de um mesmo modelo que parece que estão a conquistar o público.

“Tem sido uma agradável surpresa porque as pessoas não estão à espera de encontrar uma camisa para ciclismo urbano”, diz Elói. O nome escolhido para a marca, Calão, está também ligado ao Porto e ao conceito que queriam que a marca tivesse. Queriam que fosse uma marca “urbana e descontraída” e que representasse a localidade e as raízes da rua.

Entre as caraterísticas que tornam esta marca diferente está ainda o facto de ser produzida nacionalmente, a cerca de 30 quilómetros do Porto, com tecidos que são restos de outras produções nacionais e que recuperam.

“O upcycling é uma questão muito importante para nós porque a moda e o ciclismo produzem muito lixo”, justifica Elói. É por isso também que fazem quantidades reduzidas dos produtos, para evitar desperdício. Ainda assim, garantem que esta aposta acaba por tornar as peças mais autênticas e que a qualidade dos tecidos consegue garantir a sua resistência, durabilidade, conforto e respirabilidade.

As peças da Calão custam entre 119€ e 129€ e estão disponíveis no site da marca. Para o futuro, o objetivo passa por acrescentar mais produtos à coleção — não só de roupa como de acessórios — e levar as peças a outros locais como lojas físicas.

Carregue na galeria para descobrir algumas das peças da primeira coleção da Calão.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA