compras

Gray blending: a nova tendência para assumir os cabelos grisalhos com estilo

Graças ao contraste entre os tons escuros e claros, os fios ganham uma aparência natural, saudável e fácil de manter.
O objetivo é um resultado prateado.

Nos últimos anos, os cabelos brancos tornaram-se um fenómeno. Durante os sucessivos confinamentos, o encerramento dos salões de cabeleireiro fez com que muitas mulheres se viessem forçadas a manter pigmentação natural dos cabelos. Porém, ao contrário que muitos possam pensar, a manutenção dos fios grisalhos nem sempre é fácil — com o passar do tempo ficam mais secos, quebradiços e ganham um aspeto amarelecido. Felizmente, existem cada vez mais estratégias que ajudam a manter uma aparência saudável dos cabelos grisalhos sem muito esforço.

A mais recente tendência no mundo da beleza é conhecida como “gray blending” (ou mistura de cinzas, em português), caracterizada pelo contraste entre tons através da iluminação. Com base nas diferenças de saturação, os fios capilares ganham nuances diferentes sem perderem o brilho nem o aspeto natural.

À NiT, Ton Viéira, diretor criativo do salão Art.Z II, explica que as mulheres estão a gravitar para este visual “porque não querem ficar presas em salões para colorirem os cabelos”, até porque não é correto falar desta técnica como uma coloração. “Algumas tentaram fazer a transição no confinamento e conseguiram adaptar-se aos novos looks. Agora virou moda”, diz.

O colorista esclarece ainda que o estilo não é adotado por pessoas de determinada faixa etária, há clientes entre os 25 e os 50 anos a adotarem os fios grisalhos. Sarah Harris, editora na “Vogue” britânica, partilhou nas redes sociais a sua experiência e revelou que os cabelos brancos começaram gradualmente a fazer parte da sua vida a partir dos 16 anos.

O objetivo não é ficar com a cabeleira integralmente branca, “sem vida”, mas com toques prateados. A transição subtil entre os fios mais claros e mais escuros pode ser aplicada de várias formas, sendo que as duas mais populares são as madeixas tradicionais e a balayage.

Depois de aclarar uma porção significativa do cabelo com uma balayage muito leve — que não é suficiente, “porque não toca a raiz” —, o profissional vai fazer madeixas finas “porque tem de tocar o couro cabeludo para ser eficaz”. Terminado o resultado, as mechas grisalhas vão dar profundidade ao cabelo saturado com uma cor que parece a natural.

“Se [a cliente] tiver uma quantidade muito grande de fios brancos, vamos dividir o cabelo em tiras e trabalhar com transparências da cor natural, diminuindo ao máximo a quantidade de branco”, acrescenta. No entanto, o número de passos depende sempre da coloração natural dos fios de cada cliente, sendo necessária uma avaliação de um especialista.

Um bónus desta tendência é que o visual requer pouca manutenção e, dependendo do crescimento, as deslocações ao salão podem ser espaçadas entre três a cinco meses. No intervalo, o mais importante é “ir neutralizando o amarelecimento com pigmentos roxos e cinza”.

Para este efeito, Ton recomenda o champô roxo da Truss, indicado para cabelos loiros, brancos ou cinzentos. “É um trabalho que requer muita paciência”, sublinha o colorista, que acredita que esta nova opção capilar veio para ficar.

Carregue na galeria para descobrir como diversas mulheres adotaram a tendência gray blending.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA