compras

Maria Bianca: a marca de roupa “querida e fofinha” da mãe de quatro do “Big Brother”

Joana Taful, a concorrente do reality show da TVI, e Marta de Sousa e Meneses compraram a etiqueta de vestuário infantil em 2021.
Joana Taful e a família.

“Preciso de férias das férias.” A frase foi dita por Joana Taful, de 37 anos, no momento da sua apresentação aos portugueses na estreia da última edição do Big Brother (BB) e muitas mães portuguesas imediatamente se reviram nela. No grupo dos 17 concorrentes Joana destaca-se do grupo por uma razão particular: é a única que tem quatro filhos. A família numerosa da lisboeta foi uma das razões que a levou a fazer uma mudança radical de carreira — comprou uma marca de roupa para miúdos.

A etiqueta Maria Bianca, surgiu há dez anos com propostas de swimwear infantil. No final de 2021, a fundadora passou o testemunho a duas clientes que idealizaram o seu renascimento. Uma delas é Joana, que se tornou um rosto conhecido entre os portugueses nos últimos tempos. A outra sócia é Marta de Sousa e Meneses, de 36 anos. Ambas eram fãs dos artigos e dos valores da marca e resolveram dar-lhe uma outra vida.

Marta e Joana conheceram-se em 2019, na sociedade de advogados onde trabalhavam e tornaram-se amigas, conta Marta à NiT. A participante no reality show era responsável pela comunicação da firma e passou a dedicar-se à Maria Bianca a tempo inteiro, enquanto Marta continua a dedicar-se à advocacia.

Já existia uma relação entre Joana e a anterior dona da Maria Bianca, Catarina Pereira de Lima. No final de 2021, os filhos da concorrente do BB fizeram parte da campanha de verão da marca, após a fundadora ter descoberto outros trabalhos fotográficos dos miúdos através do Instagram.

Pouco tempo tempo depois, Catarina decidiu seguir uma nova área. “Queria ser professora de ioga e abriu, entretanto, um estúdio em Cascais [Namho]. Sentiu que não fazia sentido continuar com a marca apenas em part-time”, explica Marta à NiT. “Foi a partir daí que começámos a pensar embarcar nesta aventura”, acrescenta. O facto de ambas terem vários filhos — sete, no total — ajudou na decisão.

Novas proprietárias, nova visão

Na sua apresentação, a antiga gestora de comunicação afirmou dominar a fórmula necessária para conciliar a vida familiar muito exigente com um ritmo de trabalho intenso, algo que a levou a assumir o negócio com a amiga Marta.

A mudança de mãos implicou, claro, uma reestruturação na conceito da Maria Bianca que já era bastante popular: “Queríamos dar continuidade à marca, mas a Catarina direcionou-a para roupa de banho infantil. Nós decidimos voltar atrás e fazer duas coleções por ano, mantendo a estética querida e fofinha”, acrescenta Marta.

Atualmente, a marca prepara-se para alargar ainda mais o catálogo. Vão investir em roupa de festa, como casamentos ou batizados, para os mais novos. É um segmento que, ao longo de uma década, a etiqueta não teve a oportunidade de explorar, mas cujo valor clássico se enquadra na identidade da insígnia nacional.

As peças são irresistíveis.

“A marca é vocacionada para os miúdos mais pequenos, ‘o fofinho’, com golas e folhos. É algo que não existe tanto lá fora, em países que apreciam a qualidade e o design português”, continua. Preocupam-se com a elegância, mas não se esquecem da descontração que os mais novos precisam. Para isso, inspiram-se na imaginação infantil, com desenhos como dinossauros, bailarinas ou surfistas a fazerem as delícias dos pequenos.

Uma das realizações mais importantes das duas sócias é o facto da marca vender mais para o exterior. Fornecem várias lojas em países como Itália, Bélgica, Dubai e Estados Unidos, e têm investido na captação de uma clientela que mostra interesse num estilo de moda infantil tipicamente ibérico, que combina ternura e atenção aos detalhes que dão aos miúdos um ar “composto e arranjadinho”.

Marta e Joana são ambas responsáveis pela idealização dos desenhos. A produção é nacional, feita numa fábrica no norte do País, com a ajuda de uma costureira em Lisboa. “Fazemos um pouco de tudo, mas a Joana é quem está mais dentro da marca porque eu continuo a trabalhar como advogada”, explica Marta.

A participação no “Big Brother”

O facto de Joana ter decidido concorrer ao reality show da TVI não teve impacto no ritmo de criação. Após uma conversa entre ambas sobre a decisão, trataram de deixar tudo pronto para a nova linha até ao momento em que a mãe de quatro entrou na casa mais vigiada do País. Nesta fase, estão prestes a lançar a coleção de inverno e a concorrente — partindo do princípio que ficará no jogo até ao final do ano — regressará a tempo do lançamento das próximas propostas de verão.

Sobre o Big Brother, Marta esclarece ainda que a participação da sócia no reality show não se trata de uma estratégia para divulgar o projeto. “A participação é apenas uma ideia dela. Confessou-me que era um desejo que acalentava há algum tempo”, esclarece.

Neste momento, a Maria Bianca não tem loja física. A fundadora fechou o espaço que tinha no Estoril e as novas responsáveis pela marca queriam um ponto de venda mais central, em Lisboa. Vocacionadas para o online, sobretudo devido à clientela internacional, pretendem inaugurar um espaço na capital a longo prazo.

Pode conhecer as peças da Maria Bianca no site da marca, cujos preços oscilam entre os 12€ e os 50€. Carregue na galeria para conhecer as propostas criadas por Marta e Joana, concorrente do Big Brother.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA