compras

Swimaware: esta nova marca portuguesa tem biquínis sustentáveis

O tecido é feito de plásticos reciclados e as peças são produzidas à mão por uma costureira.
Bonitos e amigos do ambiente

Quando o gosto pela moda e a preocupação com o ambiente se juntam, o resultado só pode ser bom. A Swimaware é uma nova marca de biquínis portuguesa e nasceu em maio pelas mãos de uma dentista.

Fã de biquínis há muito tempo — é a peça de roupa que mais gosta e mais compra —, Carolina Dias da Silva, de 24 anos, tinha um sonho antigo de criar a sua própria marca, mas nunca achou que algum dia o concretizaria. Esta portuense vive perto da praia, por isso deu sempre muito valor tanto ao mar como a estas peças de vestuário.

“No ano passado acabei [o curso de] Medicina Dentária e fiquei com mais possibilidade de gerir o meu tempo, por isso achei que era a oportunidade ideal para tentar”, revela à New in Porto.

Em setembro, começou a fazer alguns desenhos de modelos e padrões para as peças e a pesquisar mais a fundo tudo o que é necessário para desenvolver uma marca. Informou-se sobre todo este mundo e até fez pequenos cursos de costura para estar mais por dentro daquilo que é necessário para realmente fazer um biquíni. Tudo isto a par do seu trabalho a tempo inteiro como dentista.

Os pilares da marca giram em torno da sustentabilidade e de mostrar ao público que existem outras opções mais amigas do ambiente, mantendo a qualidade e valorizando o que consumimos. Para isso, foi escolhido o tecido Econyl para fazer as peças. Este é um tecido que vem de uma fábrica italiana que transforma lixo, desperdícios de redes de pesca, garrafas de plástico e desperdício têxtil em fibras que depois compõem um tecido feito 78 por cento de material reciclado.

“O nosso lema é ir salvando os oceanos um biquíni de cada vez”, explica à NiT.

Os padrões dos tecidos são desenhados por Carolina, assim como os moldes. Depois, corta cada uma das peças e entrega a uma costureira na zona do Porto que confeciona os biquínis. Como a opção escolhida foi não ter um stock demasiado grande de peças, vai fazendo tudo conforme recebe as encomendas. É também por isso que o prazo de envio pode demorar um máximo de sete dias.

Neste momento, há seis modelos de partes de cima e quatro de partes de baixo, que podem ser comprados em conjunto ou em separado. Os tamanhos são S, M e L, embora o próximo objetivo seja alargar a gama para incluir o XS e o XL e, desta forma, chegar ao maior número possível de pessoas. Os desenhos são simples e há versões mais ou menos reduzidas para abranger diferentes gostos.

Por enquanto, Carolina vendeu cerca de 40 peças e o feedback tem sido positivo: “As pessoas gostam dos padrões e elogiam sobretudo o quão confortáveis as peças são”. As partes de cima custam 35€ e as de baixo ficam a 25€. Pode comprá-las no site da Swimaware.

Nas próximas semanas, a marca vai apresentar um modelo novo e uma nova cor. Mais tarde, a jovem dentista quer “ver o que falhou para poder melhorar, evoluir e talvez apresentar mais modelos, mais cores e eventualmente outro tipo de peças”.

Carregue na galeria para saber mais sobre a Swimaware.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA