cultura

A nova banda portuguesa que quer trazer de volta o melhor da música dos anos 90

Com David Pinheiro como frontman, o grupo Os Senhores estreou-se no Festival Super Bock em Stock, no passado dia 24 de novembro.
David Pinheiro, frontman D'Os Senhores por Paulo Miranda no Super Bock em Stock.

Foi aos 12 anos que David Pinheiro teve o seu primeiro contacto com a música — e tudo graças ao seu irmão, cinco anos mais velho que ele. Apesar de nunca ter tido uma carreira nesta área, o irmão de David gostava de tocar guitarra em casa com os maiores êxitos internacionais dos anos 80 e 90.

“Era sempre através dele que eu tinha acesso à música. Parece que foi ontem que me lembro dele levar para casa a cassete do álbum ‘Nevermind’, dos Nirvana. A minha vida nunca mais foi a mesma”, admite David, de 44 anos.

Desde então, começou a compor música, sempre em inglês — até por influência das bandas que ia ouvindo. Em 2009, estreou-se como músico na sua banda Mr. Smith, já com muita influência dos anos 90, sobretudo dos Nirvana, Pearl Jam e Radiohead. No entanto, um ano depois, o casamento e os filhos afastaram-no da música e vida de rock star e transformaram-no num empresário que “caminhava” entre projetos de marketing, seguros e restaurantes. 

“Tenho dois filhos, um de sete anos e outro de 13 e a parentalidade aliado a projectos em outras áreas viriam a tirar-me muito tempo e dedicação, coisas que a música requer”, conta o músico, admitindo à NiP: “Contudo, o que tem de ser tem muita força e como tal não podia estar muito tempo sem a música, foi então quando surgiu a pandemia e eu não fugi à regra, precisava também de procurar um refúgio e encontrei isso na música. Foi a minha maneira de lidar com diversos assuntos, por exemplo, perdi o meu pai em 2005, mas só neste período é que consegui fazer o luto através da música”.

O músico acrescenta: “E o engraçado é que até aos meus 26 anos sempre compus em inglês. Agora tudo me sai em português, coisa que jamais pensei ser possível”.

As referências e influências de David Pinheiro são, sobretudo, canções e bandas de rock dos anos 80-90 sendo o inglês a sua forma de expressão natural, que entretanto deixou de o ser. O confinamento veio trazer à vida uma série de composições que seriam o vislumbre de um novo projeto para o David, a banda Os Senhores, que tem David Pinheiro como frontman, e que junta Ricardo Vasconcelos, ex-membro do Amor Electro; o produtor dessa mesma banda, Tiago Pais Dias; e ainda o músico Bruno Jardim Fernandes.

“Fiz estas músicas em português e mostrei ao Ricardo, que de imediato mostrou o seu entusiasmo e pediu para mostrar a Tiago, que também deu um feedback positivo e mostrou-se confiante na produção de um disco”, conta à New in Porto, o músico de 44 anos.

Ricardo e Bruno já tinham trabalhado em conjunto com David na sua primeira banda, os Mr. Smith.  Agora, n’Os Senhores, David está na voz e na viola, Ricardo no piano e sintetizadores, Tiago na bateria e baixo, com Bruno na guitarra e Carlos no baixo.   

O nome da banda, Os Senhores reflete uma responsabilidade perante a vida que todos assumiram, uma vez que têm filhos e encargos. Por outro lado, também permite criar uma personagem que vai contar a história de cada disco da banda, começando pelo “Sr. Saraiva”, título do seu primeiro disco. Este álbum representa a soma das partes dos elementos da banda, isto apesar de ser um disco que tem muitas influências de David — todas as letras são da sua autoria, bem como quase todas as músicas.

“Estamos a fazer isto tudo sem ter uma editora por trás ou uma grande rádio. Ou seja, tudo aquilo que temos estado a conseguir está a sair-nos do ‘pêlo do cão’ como se costuma dizer,” explica o músico.

A nova banda já se estreou oficialmente no Festival Super Bock em Stock no passado dia 24 de novembro, com o seu primeiro single “Sonha”. O video no YouTube já ultrapassou as 200 mil visualizações.

A banda por Hugo Makarov.

“Esta música fala de ultrapassarmos as dificuldades da vida e de como se torna tudo mais fácil se tivermos ao nosso lado alguém que nos ajude, seja um amigo, o nosso companheiro, os filhos, quem for. Até porque também a vida torna-se mais fácil se tivermos sonhos”, admite David à NiP.

O projeto “Os Senhores” tem como principal objetivo voltar aos elementos que caracterizaram grande parte da música dos anos 90: “a honestidade, a sinceridade, a emoção”. 

“Temos temas mais calmos, mais rock, e já temos pensado o alinhamento de qual vai ser o segundo e terceiro single e alí em diante”, conta o músico. E acrescenta: “Tal como acontecia na música dos anos 90, falamos de coisas reais, problemas do dia a dia, claro que na maior parte do tempo as coisas são boas mas não podemos esconder aquilo que é mau, até porque no final do dia as coisas más que nos acontecem, tornam-nos mais fortes. Claro que o disco tem uma forte influência romântica até porque eu adoro falar do amor, mas vamos tentar falar de problemas reais como a saúde mental, e é bom falarmos de coisas concretas e reais e não só coisas bonitinhas”.

Nascido em Lisboa, David procura inspiração naquilo que lhe é próximo, como as viagens ao Porto e ao Algarve nas férias, e no próprio pai.

“Os meus pais nunca estiveram ligados à indústria musical, mas o meu pai teria gostado. Ele cantava muito bem, entretanto perdeu a sua voz no ultramar e não conseguiu realizar o seu sonho. Ele já partiu em 2005 e uma das razões porque tento agora este sonho é por causa dele, tanto que a canção ‘Maior’ é sobre o meu pai”.

O novo disco foi gravado nos estúdios da Valentim de Carvalho e nesta primeira fase, Os Senhores vão ser apresentados através de ilustrações feitas por Hugo Makarov. Todos os seus singles serão acompanhados de vídeos animados por Tiago Albuquerque.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA