cultura

André Lamoglia: quem é a nova grande estrela de “Elite” que fala português

O brasileiro faz surf, adora moda sustentável e interpreta Iván, a personagem que é filha do ator português Carloto Cotta.

E eis que à quinta temporada, uma das séries espanholas com maior sucesso na Netflix arranca com uma trama com sabor a português. Iván Carvalho é um dos novos alunos do colégio Las Encinas. O brasileiro é filho de um craque português do futebol e um dos mais famosos futebolistas do mundo de “Elite”, Cruz, interpretado por Carloto Cotta.

Ignorando o facto de que entre os atores há apenas uma diferença de 14 anos, a relação e as novas personagens marcam o regresso da quinta temporada, que estreou na Netflix a 8 de abril. E será escusado dizer que saltou diretamente para o topo da lista dos conteúdos mais vistos.

Os olhos, claro, estão quase todos postos em André Lamoglia, o jovem brasileiro de 24 anos que deu o salto do outro lado do oceano para se transformar numa das personagens em destaque. No novo enredo, Lamoglia, ou Iván, torna-se rapidamente alvo de cobiça nos corredores da escola. Rapidamente se envolve numa relação polémica (e homossexual) com Patrick, a personagem do ator espanhol Manu Ríos.

A relação de Iván com Cruz Carvalho, a personagem de Carloto Cotta, é também alvo de alguma análise durante o enredo da quinta temporada. Mas é no ator brasileiro que estão centradas quase todas as atenções — ele que é irmão de uma cara conhecida no Brasil.

A viver em Madrid, Lamoglia parece apostado em vencer no mercado europeu, ele que já passou por telenovelas até pela Disney. É, no entanto, na Netflix, que parece estar o grande tesouro da sua carreira.

À boleia do irmão

Apenas cinco anos separam Victor e André. Foi o primeiro que levou o cinema e a televisão para a família, primeiro através do canal de sketches humorísticos “Parafernalha”, depois em séries de televisão e cinema.

“Ele ia para o curso, para as peças e eu pedia para o acompanhar. Numa dessas idas, fiquei com interesse e pedi aos meus pais para me inscreverem num curso de teatro”, revelou em 2018. 


O facto de o irmão mais velho já ter desbravado caminho ajudou a convencer os pais de que André também poderia dedicar-se às artes. “Nunca tive problemas em escolher a minha carreira, até porque o meu irmão também é ator”, contou. “A minha família apoia-me sempre naquilo que eles acham que é o correto.”

Tal como o irmão, ainda tentou fazer sucesso no YouTube, mas o canal “Sem Moderação” foi um fracasso. Entre papéis em publicidade para ganhar visibilidade, acabou por conseguir conquistar um papel em “Cinderela”, no Teatro Ipanema, no Rio de Janeiro, onde nasceu.

Só em 2016 é que se abriram as portas da televisão, através da série “Segredos de Justiça”, onde participou em três episódios. Foi um golpe de sorte: à primeira, teve a honra de interpretar o filho da lenda da televisão Glória Pires.

O puto surfista da Disney

Apesar do destaque da televisão, foi preciso juntar-se a uma produção da Disney para se tornar efetivamente famosos no país de origem. Tudo isso aconteceu graças ao casting para participar em “Juacas”, uma série sobre uma equipa de jovens surfistas. Lamoglia é um deles.

A série lançada em 2017 lançou-o como protagonista e Lamoglia participou nas duas temporadas que foram para o ar e que lhe abriu caminho para entrar noutra produção da Disney, desta vez argentina, “Bia”.

“A repercussão da primeira temporada foi muito boa. Fiquei surpreendido”, revelou na altura. “Teve repercussão mundial porque é um canal mundial. Passou na América Latina e em alguns países da Europa, comecei a receber mensagens de imensos países.”

“Quando descobri que fui escolhido, fiquei felicíssimo. Aquilo de poder dizer: ‘Oi, eu sou o André Lamoglia e você está a assistir ao Disney Channel.’ Só me caiu a ficha depois de gravar a cena”, recorda. “Passei a minha vida a ver outros a dizerem a fala. Poder trabalhar com uma empresa desse tamanho é realmente muito gratificante.”

Para assumir o papel de surfista, teve que fazer uma preparação de dois meses, nas praias de Florianópolis, apesar de confessar não ser propriamente um novato. “Já tinha contacto com o surf porque moro no Rio de Janeiro, mas [a preparação] deu-me um goasto ainda maior pelo desporto. Comecei a praticar e faço-o até hoje.”

Em “Bia”, o ator teve outro desafio: teve que gravar apenas em espanhol, o que obrigou a um estudo intensivo. “Quando começaram as gravações, mesmo quando já dominava a língua, foi um grande desafio porque não queria apenas executar bem o texto, mas interiorizar o idioma ao ponto de conseguir expressar os sentimentos. Até poder improvisar e ter reações espontâneas foi um caminho mais longo.”

Uma cara da moda sustentável

Lamoglia foi o rosto de uma das campanhas da marca de relógios Bulgari, mas defende que o estilo não se deve sobrepor ao meio ambiente e sublinha a importância da sustentabilidade. “Sempre que compro alguma coisa, penso se é algo que vou usar várias vezes e durante muitos anos”, explica à “GQ”.

“Prefiro sempre peças intemporais e versáteis, até porque poder usar peças durante muito tempo ou reaproveitá-las e transformá-las noutras coisas é uma forma de fazer um uso mais consciente.”

Em 2018 foi inclusivamente embaixador de uma campanha de sustentabilidade da National Geographic. “O impacto ambiental e a preservação do meio-ambiente foram sempre assuntos que considero urgentes. Falo sobre eles graças à minha visibilidade e ao alcance da minha voz, para que cheguem a um maior número de pessoas”, conta.

Recorda que nasceu e viveu quase sempre no Rio de Janeiro, a assistir à poluição das praias. “Fui ensinado a que, ao sair da praia, devo recolher o meu lixo mas também o lixo que encontrar por perto.”

O mundo de “Elite”

Fala português, treinou o espanhol e chegou a morar durante uma temporada na Califórnia para estudar inglês. A versatilidade foi um dos fatores que o ajudou no momento de conquistar um espaço no elenco de “Elite”, a maior oportunidade da carreira.

A personagem e as suas relações são mais complexas do que seria de esperar. Iván não assume a homossexualidade, mas envolve-se em cenas escaldantes com Patrick, interpretado pelo espanhol Manu Ríos que, diz Lamoglia, o “recebeu muito bem”. “E o facto de nos darmos bem é ótimo para, na hora do trabalho e da cena, termos uma intimidade, uma certa química.

Rios já vinha de um triângulo amoroso com duas personagens masculinas. “Acho importante normalizar essa forma de amor, seja como for”, nota. “E a série tem abordado esse tema de uma forma super natural.”

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA