cultura

Clássicos e estreias. Passos Manuel recebe mais um ciclo de cinema de terror e culto

O "Passos no Escuro" acontece quinzenalmente na sala de cinema portuense, sempre à noite e com entrada livre.
“From Dusk Till Dawn” vai abrir o ciclo.

O “Passos no Escuro” está de volta com mais um mês dedicado ao cinema de terror e de culto. A iniciativa acontece quinzenalmente no cinema Passos Manuel, no centro do Porto, com o intuito de trazer este género de cinema de forma regular às noites da cidade. Há clássicos que regressam e estreias que merecem serem descobertas.

O objetivo é devolver à sala de cinema o propósito de comunhão e partilha que o cinema de género proporciona. A iniciativa regressa já esta quarta-feira, 8 de maio, com a exibição do filme “From Dusk Till Dawn”, primeiro projeto colaborativo de Quentin Tarantino e Robert Rodriguez. 

O filme surge na carreira de Tarantino a seguir ao êxito de “Pulp Fiction” dois anos antes e um ano após “Desperado”, a segunda longa-metragem para cinema de Robert Rodriguez. Os dois cineastas decidem aqui prestar homenagem ao cinema de ação e terror dos anos 70 norte-americanos, caracterizado por excessos e transgressão.

Neste filme, há dois irmãos fora da lei, interpretados pelos cineastas, que decidem sequestrar uma família com o intuito de facilitar a passagem na fronteira com o México. Uma vez lá, devem esperar num bar pela manhã seguinte, onde é suposto encontrarem-se com os seus cúmplices. O problema é que nada corre como esperado e todos vão ter de enfrentar algo para o qual não estavam preparados. 

Já na próxima quarta-feira, 22 de maio, está preparada uma exibição especial, já que se trata de uma estreia nacional de um filme com 40 anos, recentemente descoberto, restaurado e montado. “New York Ninja” é daqueles raros objetos cinematográficos que ganha uma vida enorme quando partilhado numa sala de cinema. Em 1984, o ator de artes marciais, John Liu, decidiu tentar a sua sorte e fazer um filme nos Estados Unidos.

Munido apenas com a sua experiência de ator em Hong Kong, fez o melhor que pôde: uma história que envolve um ninja decidido a acabar com a criminalidade de Nova Iorque e um vilão com misteriosos poderes, a quem chamam o Assassino de Plutónio. Algures no meio da produção, o financiamento acabou, o projeto foi abandonado e todas as filmagens ficaram perdidas num armazém durante 35 anos. Em 2019, a editora Vinegar Syndrome, dedicada a restaurar filmes de género, encontrou as latas e, após alguns visionamentos das fitas, viu que tinha encontrado uma verdadeira relíquia.

O resultado final é um filme hilariante, que tentou ser um ambicioso retrato de heróis e artes marciais, mas que acabou como sendo um dos melhores exemplos do género “tão mau que é bom”. Todas as exibições decorrem pelas 22 horas. Pode consultar os horários das próximas sessões nas redes sociais do projeto. A estação de metro dos Aliados fica próxima da sala de cinema.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA