cultura

Cooperativa Árvore recebe exposição dedicada a Luís de Camões. A entrada é livre

Ao todo, a mostra junta 14 obras, entre quadros, esculturas e instalações inspirados na temática camoniana.
Uma obra incontornável do poeta.

Conhecido como poeta e dramaturgo, Luís Vaz de Camões nasceu em Lisboa em 1524, local onde morreu em 1580. Durante quase duas décadas esteve longe de Portugal, em terras estrangeiras, onde foi soldado, perdeu um olho em batalha e escreveu a sua obra-prima, “Os Lusíadas” dois anos depois de ter voltado ao País.

Este é o livro mais famoso da literatura portuguesa e fala das conquistas lusitanas até à chegada de Vasco da Gama à Índia. Além disso, o narrador da epopeia demonstra o seu amor e veneração ao rei de Portugal, D. Sebastião e, ao povo lusitano.

Nesse sentido e, principalmente, para celebrar os 500 anos do nascimento de Luís de Camões, a Cooperativa Árvore juntou-se ao Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos — Universidade de Coimbra (CIEC), para inaugurar uma exposição coletiva intitulada “Porque, quem não sabe arte, não na estima”, canto V, estrofe 97, da obra “Os Lusíadas”.

A exposição abre ao público na próxima quinta-feira, 23 de maio, pelas 17h30. A inauguração contará com dois momentos musicais, liderados por Cuca Sarmento, Francisco Carvalho, Manuel Sobral Torres e Maria Augusta Sá Pinto. Isabel Ponce de Leão, professora universitária e uma das organizadoras da mostra, fará a apresentação da mesma. Da inauguração fará ainda parte uma conferência, dirigida pelo especialista em estudos camonianos, o professor doutor José Carlos Seabra Pereira, presidente do CIEC.

Ao todo, a exposição reúne 14 obras que abordam a temática camoniana, com nove quadros, três esculturas e duas instalações dos artistas Afonso Pinhão Ferreira, António Franchini, Carlos Silva, Do Carmo Vieira, Evelina Oliveira, Filipe Rodrigues, Francisco Simões, Hélder Carvalho, Humberto Nelson, Isabel Mourão Alves, Jorge Marinho, José Emídio, Nuno Ferreira e Susana Bravo. 

A mostra poderá ser visitada gratuitamente até ao próximo dia 3 de junho, de segunda a sexta-feira, na Cooperativa Árvore entre as 10 e as 18 horas e aos sábados, das 14 às 19 horas. A estação de metro dos Aliados fica próxima da entidade cultural portuense.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA