cultura

Hard Club recebe “rave” especial para celebrar os 50 anos do 25 de Abril

O evento vai juntar um podcast ao vivo e apresentações de DJ de vários pontos do País. Os bilhetes já estão à venda.
Mix'elle vai estar no palco.

O isolamento, a solidão e o individualismo são aspetos cada vez mais comuns na sociedade atual. Para combater o problema, o clubbing e as raves, surgem como espaços que permitem a possibilidade de “cultivar” um sentido de comunidade entre quem os procura. 

A DJ e ativista Cativo acredita que o fenómeno excessivo da solidão ameaça a democracia e liberdade. Foi por isso que aceitou o convite feito pelo Hard Club Porto para fazer a “Rave da Liberdade”. O evento surge então como uma proposta para repensarmos os espaços de clubbing e rave e usá-los para aproximar as pessoas.

Sob o mote “só somos verdadeiramente livres, quando todos somos livres”, a festa vai juntar artistas de várias localidades do País, cujo trabalho e luta pela liberdade são indissociáveis. O evento está marcado para a véspera do 25 de abril, quarta-feira, dia 24. 

As portas do Hard Club abrem pelas 22 horas para receber inicialmente uma conversa da “Câmara Magmática”, podcast criado por Cativo para falar do poder da transformação social da cultura, sobretudo na música. O tema do podcast ao vivo será “Como podemos usar o clubbing como ferramenta de liberação pessoal e de consciencialização social?”.

Os convidados são talentos emergentes do Porto. Entre eles, está a DJ, ativista e agitadora cultural palestiniana Saya, a dupla genderqueer Runnan e Pedro Colaço e o coletivo artístico multidisciplinar Sarilho.

Neste evento, a liberdade será celebrada através da música. A pista abre com Tomé, músico multi-instrumentista e produtor vindo de Almada, que propõe produções que vão desde o experimental ao jungle. Segue-se o Coletivo Sarilho, em formato DJ set. Apesar do seu curto tempo de vida, o grupo tem contribuído para a revitalização da cena portuense, com experiências multisensoriais.

Noite dentro, junta-se Mix’elle, conhecido na cena D’n’B nacional com mais de 20 anos de carreira, misturando tecnho também. A noite encerra pelas mãos da dupla FUINKI, composta pelo DJ e produtor conimbricense Assafrão e pela DJ e ativista portuense Cativo, que iniciaram experiências em 2018, com blends de techno, breaks, jungle e bass.

Os bilhetes já podem ser comprados online e os preços variam entre os 10€ e os 12€. A estação de metro de São Bento fica próxima do Hard Club.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA