cultura

Jardins do Palácio de Cristal têm uma homenagem especial a Júlio Dinis

Escritor portuense falecido há 150 anos dá nome a uma tília no encerramento da Feira do Livro.
Fotografa de Porto.

A edição deste ano da Feira do Livro do Porto terminou este domingo, 12 de setembro. A data ficou marcada por mais uma homenagem a Júlio Dinis, o escritor lembrado este ano.

Numa altura em que se assinalam os 150 anos da sua morte, foi descerrada uma placa que atribui o nome do autor portuense a mais uma tília da Avenida das Tílias, nos Jardins do Palácio de Cristal. A cerimónia foi liderada pelo presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, que destacou a forma como esta homenagem volta a trazer a público a obra do escritor.

“A obra de Júlio Dinis estará no centro do projeto educativo do Museu da Cidade durante todo o próximo ano letivo”, garantiu o autarca explicando que isso vai ser feito de duas formas: “O Imaginário, publicação composta em fragmentos, que servirá de objeto de mediação e de introdução à leitura da obra de Júlio Dinis; e o Herbário, exposto na Extensão do Romantismo do Museu da Cidade, obra rara e tocante que ali estará acessível nos próximos meses e que constitui o ponto focal do programa de visitas guiadas, que logo desde a abertura do espaço ali promovemos e continuaremos a promover.”

A oportunidade serviu ainda para anunciar que a autarquia adquiriu um conjunto de 58 documentos manuscritos originais de Júlio Dinis onde se incluem textos desde a sua juventude, cadernos pessoais e cartas.

Durante a tarde houve ainda lugar para uma homenagem de um minuto de silêncio por Jorge Sampaio, antigo Presidente da República que morreu na passada sexta-feira, 10 de setembro.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA