cultura

Pode ver a exposição inédita de edições raras de “Os Lusíadas” até este sábado

A mostra está patente nos Paços do Concelho, na Câmara Municipal do Porto. A entrada é gratuita.
Uma exibição nunca antes vista.

Inserido nas comemorações dos 500 anos do nascimento de Luís de Camões, a Câmara Municipal do Porto tem patente, nos Paços do Concelho, até 27 de janeiro, edições consideradas raras de “Os Lusíadas”. A mostra contém três exemplares históricos, que chegaram na passada segunda-feira, vindos do Ateneu Comercial do Porto e da Biblioteca Pública Municipal.

Ao que a NiP conseguiu apurar, os exemplares foram entregues devidamente acondicionados, com a ajuda das técnicas da Divisão Municipal de Bibliotecas, que cumpriram todas as regras e procedimentos necessários para a deslocação. Uma das edições pertence ao Ateneu Comercial desde 1904. Atualmente, existem 34 exemplares da primeira edição de “Os Lusíadas”, distribuídos em três continentes por bibliotecas públicas, privadas e coleções particulares.

Segundo a ata de 3 de fevereiro de 1904, do centenário espaço portuense, a obra de Luís Vaz de Camões terá custado, à data da adquisição, 170 mil réis, tal como revelou o portal de notícias da Câmara do Porto. O exemplar foi impresso, pela primeira vez, em 1572, em Lisboa e é uma das muitas raridades do alargado espólio do Ateneu.

Os outros dois exemplares pertencem à Biblioteca Pública Municipal do Porto. Um data do ano de 1817 e pertencia, na altura, ao bispo do Porto, D. João de Magalhães e Avelar, tendo sido impresso, em Paris, na “Officina Typographica”, de Firmin Didot. O outro trata-se de uma edição crítica, no âmbito da comemoração do terceiro centenário da morte do poeta, publicada no Porto, por Emílio Biel. Foi impresso em Leipzig, na Alemanha, pela “Typographia Giesecke & Devrient”, em 1880.

A iniciativa é complementar a um projeto de Gonçalo M. Tavares, que pretende envolver os portuenses na dinâmica “Camões na Cidade do Porto”. Da autoria do escritor, em coorganização com o Município do Porto, prevê a filmagem de leituras de “Os Lusíadas”, por vezes em atos performativos, tendo como cenário vários espaços interiores e exteriores do Porto.

Ao todo, vão ser filmadas mais de mil pessoas convidadas, com idades compreendidas entre os sete e os 87, a lerem uma das 1.102 estrofes do poema épico de Camões. Os vídeos, com as respetivas leituras, vão estar disponíveis em vários pontos da cidade através de um QR code.

Estas são as duas grandes iniciativas da autarquia, com o intuito de colocar a cidade do Porto no centro das comemorações dos 500 anos do nascimento de Luís de Camões, que se pensa ter ocorrido a 23 de janeiro de 1524. O objetivo é celebrar o génio do poeta renascentista português, assim como promover a sua projeção no futuro.

A mostra das edições inéditas de “Os Lusíadas” está patente até sábado, 27 de janeiro, das 9 às 17 horas. Os visitantes terão ainda a oportunidade de conhecer melhor alguns dos salões no Paços do Concelho, como o das Sessões e o Dona Maria. A entrada é livre e a estação de metro dos Aliados fica próxima do espaço.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA