fit

Bactéria da legionella detetada nos balneários da Escola Secundária de Gondomar

O agente bacteriana foi encontrado nos chuveiros, mas a diretora garante que não há risco de infetar os alunos.
Fica em Gondomar.

Os balneários da escola Secundária de Gondomar foram encerrados, após ter sido detetada a presença da bactéria Legionella num dos chuveiros. O espaço já estará a ser desinfetado, mas a diretora, Lília Silva, garantiu que não há risco de infetar nenhum aluno.

A responsável enviou um e-mail aos pais dos alunos para os pôr ao corrente da situação. A diretora explica que foi detetada a presença da “variante SPP da Legionella e não a mais grave, a pneumofila”, segundo a cmensagem a que a Lusa teve acesso, aqui citada pela SIC Notícias. Lília Silva confirma ainda que foi vedado o acesso aos chuveiros.

Na mesma nota, a docente indica que a Parque Escolar, responsável pela inspeção dos edifícios públicos, “procederá à limpeza e desinfeção” do equipamento, após o que “serão realizadas novas análises e contra-análises”. Porém, não há risco de infetar alunos, uma vez que estão em semana de avaliações e, por isso, já não utilizam o espaço.

Que bactéria é esta?

A Legionella pneumophilanos desenvolve-se e vive em meios aquáticos (de água doce), naturais ou artificiais. É responsável pela doença do legionário — uma forma de pneumonia grave cujos sintomas incluem tosse seca, febre, arrepios, dor de cabeça, dores musculares e dificuldade respiratória. Também se pode manifestar através de dor abdominal e diarreia. A infeção, embora não seja contagiosa, pode ser mortal em casos graves.

A doença não se transmite de pessoa para pessoa. Porém, a uma bactéria que pode ser contraída no duche, já beneficia do vapor, e se usar casas de banho ou até piscinas públicas.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA