fit

Homem diz que o pénis encolheu 3,8 centímetros devido à Covid-19: será irreversível?

Depois de fazer um tratamento para a disfunção erétil causada pelo vírus, o homem continuou com o órgão sexual mais pequeno.
Disfunção erétil é uma das consequências.

Um norte-americano assegura que o seu pénis encolheu cerca de 3,8 centímetros, em resultado de danos vasculares que sofreu após ter contraído Covid-19. O homem sofre agora de disfunção erétil e os médicos afirmam que a condição é irreversível. O relato foi feito no podcast “How to Do It”

O homem, que se identificou como heterossexual na casa dos trinta anos, disse que a questão tem um “impacto profundo na autoconfiança e performance sexual”. Segundo conta, após ter contraído o vírus em julho do ano passado, ficou com um estranho caso de disfunção erétil.

A doença foi sendo tratada ao longo do tempo, mas o norte-americano afirma que o tamanho do seu órgão sexual diminuiu bastante: “Antes de ficar doente [o meu pénis] tinha um tamanho acima da média. Não era enorme, mas era definitivamente maior do que o normal. Agora perdi cerca de 3,8 centímetros e ficou, claramente, menor do que a média.”

De acordo com um estudo da University College London, que analisou 3.400 pessoas que foram infetadas com o novo coronavírus, um dos sintomas mais raros naqueles que foram afetados por Covid de longa duração (200 do universo do estudo) foi precisamente este: a diminuição do tamanho do pénis.

Um outro estudo, publicado pelo “World Journal of Men’s Health” da University of Miami Miller School of Medicine demonstrou que a disfunção das células endoteliais provocada pela infeção por SARS-CoV-2 pode contribuir para a disfunção eréctil.

O homem refere ainda que os médicos o avisaram de que a condição será permanente. “Não devia ter importância, mas teve um impacto profundo na minha autoconfiança e na minha performance sexual”, afirmou.

No mesmo podcast, os urologistas Ashley Winter e Charles Welliver confirmam que esta condição, denominada “pénis Covid”, é real e que pode provocar não só o encolhimento do pénis e disfunção erétil, mas também priapismo (ereção dolorosa, anormal e persistente não acompanhada de desejo sexual ou excitação). No entanto, os dois médicos dizem que há possibilidade de reabilitação, através de medicação e fisioterapia.

Os clínicos afirmam que bombas de pénis e dispositivos de alongamento poderiam ajudar a reabilitar quem sofre de disfunção erétil relacionada com o coronavírus. Embora inicialmente se pensasse que uma dose baixa de medicação adequada a este problema pudesse ajudar, Charles Welliver diz que aparelhos que esticam o pénis ou fazem sucção podem ajudar a recuperar o perímetro e comprimento perdidos: “Existem muitos dados que  mostram que é possível.”

Ashley G. Winter, urologista e especialista em saúde sexual, também recomenda a utilização de uma bomba para reabilitar o órgão sexual, encorajando a movimentação do fluxo sanguíneo. “São coisas fáceis de fazer em casa para evitar a diminuição ou para recuperar o comprimento perdido”, explica a médica.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA