fit

O que deve fazer quando uma lente de contacto desaparece no olho

Trocar os óculos por estas circunferências transparentes não é assim tão fácil. A NiT falou com os especialistas.
Se usa lentes há coisas que deve saber.

Se faz parte do grupo de pessoas que utiliza lentes de contacto, certamente que isto já lhe aconteceu: perceber que a lente simplesmente desapareceu. Pode respirar. É algo que acontece com alguma frequência a quem trocou os óculos por estes dispositivos. Porém, nesse momento, é preciso agir com precaução e seguir alguns passos importantes.

Quem vê mal sabe o quão desconfortável pode ser utilizar lentes com armações comuns e opta pelas de contacto. A parte estética é a principal culpada desta escolha, já que as lentes libertam o rosto do auxiliar à visão que têm de usar diariamente. Permitem uma fácil utilização de óculos de sol não graduados e, no caso das mulheres que usam maquilhagem, esta ganha mais destaque. No entanto, as pequenas circunferências transparentes que se colocam no centro de cada olho não são assim tão simples de utilizar.

“Nem toda a gente que vê mal pode usar lentes de contacto”, começa por explicar o oftalmologista Eugénio Leite à NiT. E continua: “Poucos sabem, mas primeiro devem realizar uma consulta oftalmológica onde o especialista irá analisar a curvatura da córnea, o filme lacrimal e se o olho em si reúne as condições necessárias para suportar uma lente de contacto”.

Se puder usá-las, não basta apenas aprender a colocá-las. Existem algumas regras a seguir para garantir a saúde ocular e evitar infeções. As mãos devem estar sempre bem higienizadas e só deve pôr ou tirar as lentes em ambientes limpos. Outras das recomendações de Eugénio Leite é recorrer ao bom senso.

“Se acordarmos com os olhos vermelhos, irritados, com remelas ou secreções, devemos evitar usar as lentes nesse dia”. E acrescenta outro conselho: “Quando estamos em locais com ar condicionado e a trabalhar ao computador e sentirmos os olhos mais secos, devemos sempre colocar umas gotas, as chamadas lágrimas artificiais para humedecer a região”.

A juntar a esta lista, o médico chama a atenção para outra situação que ocorre com alguma regularidade. “Por vezes, achamos que temos a lente colocada, mas ela simplesmente caiu sem darmos conta. Quando isto acontece temos a tendência de ao retirar uma, tentar retirar a outra”, revela. O que acontece é que como não está lá nada apenas irritamos o globo ocular. Se houver essa dúvida, deve fechar um olho de cada vez e perceber como está a visão em cada um. Se estiver a ver mal de um é porque a lente caiu sem se ter apercebido.

O que fazer quando as lentes ficam coladas

Sempre que sentir desconforto no olho deve remover a lente de contacto. Se esta ficar colada e não a conseguir retirar, o primeiro passo é aplicar uma lágrima artificial para humedecer a lente e facilitar a sua mobilidade sem agredir o olho.

Se, ainda assim, não a conseguir retirar tem de começar a ter cuidado porque, como explica o médico, “a partir daqui as tentativas vão ser mais traumáticas para o olho. O que significa que há um aumento do risco de úlceras e infeções”. Quando isto acontece o mais indicado é consultar um especialista em oftalmologia, ou dirigir-se a uma urgência que tenha este serviço. O que pode acontecer — e é até muito frequente — é que a lente tenha deslizado para o saco conjuntival, o que vai tornar a sua remoção mais difícil. E não deve ser tentada pelo portador nem por outra pessoa que não tenha competência para o fazer.

Dormir com lentes de contacto é algo a evitar, uma vez que só devem ser utilizadas durante oito a 10 horas consecutivas. “E durante o sono os olhos não pestanejam, ou seja, a região não vai ter a humidade necessária o que pode aumentar o risco de úlceras e infeções”. Se por acaso se esquecer de as retirar antes de adormecer, ao acordar deve colocar as gotas prescritas pelo oftalmologista e aguardar uns minutos antes de as tentar remover. É importante confirmar que não coladas antes de o fazer.

Carregue na galeria para conhecer outras recomendações de utilização de lentes de contacto para proteger a sua visão.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA