na cidade

Câmara do Porto volta a dar árvores e arbustos para os jardins dos moradores

Desta vez, são mais de 1700 plantas que podem chegar a sua casa. As candidaturas decorrem de 15 de março a 5 de abril.
Fotografia de Filipa Brito para Porto.

Está aí a quinta edição da iniciativa “Se tem um jardim, temos uma árvore para si”. Promovida pela Câmara Municipal do Porto, a ideia é dar aos portuenses árvores e arbustos para que possam ser plantados nos seus jardins e quintais. As candidaturas começam a 15 de março e terminam no dia 5 de abril.

De acordo com o site da autarquia, este ano há mais de 1700 exemplares de sete espécies nativas para os jardins e quintais privados do Porto, sendo que cada residente — que tenha o Cartão Porto. — ou organização com sede no concelho, tem direito a dez unidades. Mesmo que não tenha um quintal ou jardim mas tenha uma varanda ou pátio, a edição deste ano permite que se candidate à mesma. Neste caso, poderá receber um máximo de quatro plantas que serão mais pequenas para se adaptarem ao espaço disponível.

Entre as plantas, árvores e arbustos disponíveis este ano estão espécies como medronheiro, bétula-portuguesa, lódão, pilriteiro, cipreste, macieira-brava ou gilbardeira. Se não sabe qual a que se adequa melhor às suas necessidades, está marcada para 14 de março uma sessão online onde vai poder conhecer melhor cada uma das espécies. Nesta sessão “serão abordadas as características, curiosidades e os cuidados a ter na plantação das mesmas”.

A primeira edição da iniciativa “Se tem um jardim, temos uma árvore para si” data de 2016 e desde essa altura já foram distribuídas gratuitamente 8361 plantas nativas. Entre as vantagens do aumento do número de árvores nativas na cidade estão factos como o contributo para a melhoria do ar, a regulação da água ou a redução da temperatura na cidade em alturas de maior calor.

“Estas novas plantas vão reforçar a infraestrutura verde da cidade, manifestando, igualmente, a estratégia ambiental e de contributo para a mitigação e adaptação às alterações climáticas que o Município do Porto tem em prática”, explica a autarquia.

Todas as informações sobre o projeto e as candidaturas estão disponíveis no site da iniciativa.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA