na cidade

Campanha de recolha de alimentos do Banco Alimentar regressa ao Porto em dezembro

A iniciativa pretende angariar o máximo de donativos para ajudar as famílias que enfrentam uma situação económica mais difícil.
Também pode ser voluntário.

O Natal é sinónimo de luzes e presentes, mas também de iniciativas solidárias. É por isso que a 56.ª edição da campanha de recolha de alimentos do Banco Alimentar Contra a Fome do Porto decorre no primeiro fim de semana de dezembro, dias 1, 2 e 3, com o objetivo de ajudar as famílias que enfrentam uma situação económica mais precária e, claro, transmitir esse espírito natalício de entreajuda.

Durante o fim de semana prolongado, mais de 300 super e hipermercados do distrito do Porto juntam-se à causa. A comunidade terá então a oportunidade de contribuir com doações de uma variedade de produtos não perecíveis, tais como leite, conservas, óleo, azeite, arroz, açúcar, farinha ou massas. Estes itens, depois de recolhidos, serão distribuídos por mais de 300 instituições apoiadas pelo Banco Alimentar Contra a Fome do Porto, estrutura que desempenha um papel crucial na ajuda às famílias que se encontram numa situação mais vulnerável.

Bárbara Barros, presidente do Banco Alimentar do Porto, salienta que “num momento desafiante para Portugal (e, infelizmente, para o mundo), a campanha de recolha de alimentos do Banco Alimentar do Porto necessita, mais do que nunca, de uma expressão poderosa da solidariedade dos portugueses e portuenses”, acrescentando: “Com a crescente inflação, é necessário reconhecer a importância vital de apoiar aqueles que enfrentam maiores dificuldades. Mas é importante perceber, também, que esta campanha não fortalece apenas as despensas comunitárias. Pretende passar uma mensagem clara de esperança e colaboração face aos desafios sociais. Pretende demonstrar que, juntos, continuaremos a construir um futuro onde a solidariedade e o apoio ao próximo se assumem como os alicerces da nossa sociedade”.

Segundo o relatório “Pobreza e Exclusão Social em Portugal 2023”, divulgado no passado mês de outubro pelo Observatório Nacional de Luta Contra a Pobreza, mais de 20 por cento dos portugueses encontra-se em situação de risco de pobreza, devido sobretudo à instável situação político-financeira, que fez com que disparassem os pedidos de ajuda ao Banco Alimentar. A presidente da associação refere ainda que esperam superar o êxito alcançado nas edições anteriores, contando “mais do que nunca” com o apoio e a resposta solidária por parte de toda a comunidade.

A 55.ª edição desta iniciativa realizou-se no passado mês de maio e foram recolhidas 329 toneladas de bens alimentares. Todavia, um dos elementos essenciais para a realização — e sucesso — da campanha são os voluntários, que se distribuem não só pelos super e hipermercados, mas também pelo armazém do Banco Alimentar Contra a Fome do Porto. Em maio, a iniciativa contou com o apoio de mais de cinco mil voluntários. Se quiser juntar-se a esta causa como voluntário, pode realizar a inscrição online.

Se já estiver a pensar em comprar algumas lembranças este Natal, carregue na galeria para conhecer as propostas da Arcádia.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA