na cidade

Mariana espalhou quadrados nas ruas do Porto para alertar para a crise na habitação

A jovem exibiu o preço das casas na Avenida dos Aliados, rua de Santa Catarina e Trindade. "Isto é um metro quadrado. No Porto, custa 2.445€/m2", lê-se.
Portugal teve o maior aumento no mercado imobiliário, em 30 anos.

Há três anos que Mariana Quaresma, 21 anos, deixou Aveiro para ir para a faculdade, em Vila do Conde. Quando entrou no curso de Design Gráfico, na Escola Superior de Medias Artes e Design (ESMAD), teve um misto de felicidade com receio sobre onde ia viver. 

“Procurei logo casa no Porto, por ser no centro e por poder ir de metro para todo o lado. No entanto, os preços não eram suportáveis. Se, antes da pandemia, já eram altos, depois ficaram ainda mais”, lamenta a finalista à New in Porto. Mariana não teve outro remédio senão arranjar uma casa perto da faculdade. No entanto, além de continuar caro, teve de partilhá-la com pessoas que não conhecia, algo que, no Porto, não aconteceria.

Apesar de contar com o apoio dos pais para pagar a renda, Mariana trabalha todos os verões para ajudar com as despesas. E não deixa de se sentir sortuda por ter este apoio, pois “sem ele, não conseguia viver aqui”. Desta forma, quando lhe foi apresentado o projeto final de curso, pensou logo na crítica à habitação como premissa.

“Pensei na minha experiência e na das pessoas do meu círculo de amigos, assim como na de muitos estudantes em todo o País”. E foi assim que surgiu o projeto Metro Quadrado. Em 2021, Portugal atingiu o maior aumento no mercado imobiliário em 30 anos, com uma variação de 18,8 por cento. De acordo com o relatório do Idealista, o preço do metro quadrado no Porto, em maio de 2023, foi de 2.445€, e foi exatamente isso que Mariana quis espelhar.

“Isto é um metro quadrado. No Porto, custa 2.445€/m2” é a frase que acompanha os quadrados amarelos espalhados em vários locais emblemáticos do Porto. Mariana andou pela Avenida dos Aliados, na Rua de Santa Catarina e pela Trindade, que, infelizmente, já viu o seu quadrado removido. O grande objetivo da jovem é alertar para a grave crise habitacional e “chamar a atenção de quem tem poder para mudá-la”, encontrando “preços acessíveis e condições dignas”.

E não é apenas o Porto que Mariana quer atingir. A finalista pretende que o Metro Quadrado chegue à sua cidade de origem, Aveiro, onde o preço é 1.658€/m2, a Lisboa, onde o valor ainda é mais assustador, sendo 3.868€/m2, e a outras cidades do País.

Desde que começou a espalhar os quadrados pela cidade, Mariana tem recebido vários elogios ao seu trabalho e ativismo. No entanto, ainda está à espera de resposta de quem pode “mudar o problema”.

Carregue na galeria para ver algumas fotografias do projeto Metro Quadrado.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA