na cidade

Os miúdos vão poder salvar tartarugas marinhas no Sea Life Porto

A iniciativa decorre entre 20 de janeiro e 10 de março. Inclui oficinas orientadas, visitas guiadas e outras atividades divertidas.
Todos podem ajudar.

Com o objetivo de sensibilizar para a importância das tartarugas no equilíbrio dos ecossistemas marinhos e as crescentes ameaças humanas à sua sobrevivência, o Sea Life Porto está a promover a iniciativa “Turtle Rescue”, entre os dias 20 de janeiro e 10 de março. O objetivo é testar conhecimentos e desafiar os visitantes, especialmente os miúdos, a desempenharem o papel de guardiões desta espécie.

Com 155 quilos e pouco mais de um metro de comprimento, Mariza, tartaruga verde gigante, cientificamente chamada Chelonia Mydas, veio das Ilhas Caimão, em 2011, para habitar neste gigante aquário portuense. Trata-se de um dos animais mais antigos do mundo e que integra a lista vermelha de espécies ameaçadas. É este animal a grande inspiração para esta iniciativa no Sea Life Porto. Segundo a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza, Mariza faz parte das seis espécies de tartarugas marinhas, estando duas delas em risco de extinção.

Este fim de semana, dias 20 e 21 de janeiro, entre as 14 e as 16 horas, os miúdos estão convidados a dar asas à imaginação na oficina “Turtle Rescue”, com a orientação de Rita Faustino, da Oficina Josefina. Nesta atividade, os mais pequenos vão criar um taumatrópio, sob o mote “O que estão as tartarugas a tramar?”. 

Até 10 de março, durante as visitas ao aquário, os participantes poderão resolver diversos desafios e ajudar a “salvar” uma de quatro espécies ameaçadas. Até lá, sempre pelas 16 horas, os visitantes estão convidados a assistir a uma palestra temática adicional no aquário principal, que terá como protagonista a tartaruga Mariza.

Rui Ferreira, diretor do Sea Life Porto, sublinha que “este evento tem como objetivo sensibilizar visitantes de todas as idades, de uma forma divertida e muito prática, para o impacto humano nestas espécies marinhas e como podemos contribuir, individual e coletivamente, para protegê-las”.

O diretor ainda acrescenta: “As tartarugas são um elemento ecológico essencial para o equilíbrio do ecossistema marinho, pelo que é muito importante conhecer o impacto devastador do seu potencial desaparecimento. O Sea Life Trust tem vindo a contribuir ativamente para o resgate de tartarugas, que dão à costa com lesões e para a sua posterior reabilitação e é nesse âmbito que surge esta iniciativa. É fundamental percebermos que nós somos a principal ameaça destes animais, cuja existência neste planeta data de há mais de 110 milhões de anos e que é, por isso, nossa a responsabilidade de protegê-los”. 

O aquário encontra-se aberto de segunda a sexta-feira, das 10 às 18 horas, e ao sábado e domingo, das 10 às 19 horas, sendo que a última entrada é permitida 45 minutos antes do fecho. A estação de metro mais próxima é a de Câmara de Matosinhos.

MAIS HISTÓRIAS DO PORTO

AGENDA